Exportadores brasileiros de carne suína apostam em produto processado

Agronegócio

Exportadores brasileiros de carne suína apostam em produto processado

O Japão, por exemplo, não aceita o critério brasileiro de regionalização para a aftosa
Por:
1 acessos
Os exportadores brasileiros de carne suína apostam nos produtos processados e cozidos para chegar a mercados que ainda não compram a carne suína in natura nacional, como o Japão, União Européia e Estados Unidos. "Vamos trabalhar a carne processada para esses mercados. Isso pode servir de início para que possamos entrar depois com o produto in natura", disse Pedro de Camargo Neto, presidente da Abipecs (associação que reúne os exportadores).


O processo está mais avançado em relação ao mercado japonês. Segundo Camargo Neto, a Sadia já foi habilitada para exportar carne suína processada ao país, e uma missão veterinária japonesa virá ao Brasil certificar outros frigoríficos. Com os americanos, o tema deve ser tratado na próxima reunião do Comitê Consultivo Agrícola Brasil-Estados Unidos. O governo brasileiro também já manifestou à UE que deseja exportar carne suína processada e cozida para o mercado europeu. Japão, UE e Estados Unidos não compram carne suína in natura do Brasil por questões sanitárias. O Japão, por exemplo, não aceita o critério brasileiro de regionalização para a aftosa.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink