Extração de Potássio no AM vai demorar
CI
Agronegócio

Extração de Potássio no AM vai demorar

As reservas se concentram em grande parte na região do município de Autazes
Por:
Projeto é explicado em uma audiência pública

A extração de potássio em Autazes está prevista para daqui a seis ou sete anos, mas ainda não se sabe que empresa beneficiara a matéria-prima em fertilizante.

Entretanto, o trabalho de exploração na área acontece desde 2008 e no último final de semana os autazienses conheceram mais detalhes do projeto em uma audiência pública, realizada na quadra de esportes central do município, a 161 quilômetros de Manaus.

A reunião durou cerca de duas horas e teve a participação de prefeitos da região, do deputado Estadual Sinésio Campos (PT) e na plateia dezenas de funcionários públicos e moradores de Autazes, curiosos em entender o que é potássio e como poderão ser beneficiados. Mas entre vozes de autoridades e contrariando o significado de audiência pública a população não teve voz para questionar.

Para A CRÍTICA o aposentado José Alairdes da Silva disse acreditar que a exploração de potássio deve trazer melhorias para os autazienses e para a cidade, isso se houver interesse municipal. “Fala-se em potássio em Autazes há muitos anos, mas nenhum político trabalhou nesta causa. O atual prefeito não é muito aceito pela população, mas se conseguir concretizar esse projeto mudaremos nossa opinião sobre ele”.

Para o desempregado Berg dos Santos o assunto ainda é uma incógnita, mas Autazes precisa de uma economia sustentável, pois, segundo ele, há dezenas de desempregados que não tem onde ser empregados.

O carpinteiro Manoel Vasconcelos afirma que se o prefeito não for corrupto pode ser que com a exploração do mineral beneficie a população e traga novas oportunidades. O estudante Renato Gamboa é um dos autazienses já beneficiados com o início da exploração do minério no município.

Há um ano trabalha como serviços gerais na empresa Potássio Brasil - que tem perfurado pontos do município para localizar o mineral. “Faço curso técnico em negócios, mas já estou interessado em fazer algo na área de geologia ou algo mais próximo da mineração”.

De acordo com a Prefeitura de Autazes, a população terá acesso a cursos profissionalizantes para atuar no segmento. O prefeito do município, Wanderlan Sampaio, disse que atualmente 30% dos funcionários da Potássio do Brasil são autazienses e isso deve aumentar nos próximos anos.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.