Fábrica de mosquitos transgênicos “Aedes do Bem” é inaugurada em SP

Agronegócio

Fábrica de mosquitos transgênicos “Aedes do Bem” é inaugurada em SP

Genes impedem maturação das larvas
Por: -Leonardo Gottems
3676 acessos

A empresa Oxitec inaugurou na cidade paulista de Piracicaba (SP) a primeira fábrica do Brasil (e segunda em todo o mundo) para produção em grande escala do mosquito Aedes aegypti geneticamente modificado. Ao se reproduzir com insetos selvagens, o chamado “Aedes do Bem” transmite genes que impedem as larvas de se tornarem adultas.

A unidade, de 5.000 m², tem capacidade para produzir até 60 milhões de mosquitos trangênicos por semana. De acordo com a fabricante, esse volume é capaz de proteger até 3 milhões de pessoas do Aedes aegypti, principal transmissor da Zika, dengue e chikungunya.

“Essa unidade do Aedes do Bem aumenta em 30 vezes nossa atual capacidade de produção. Com ela, ratificamos nossa capacidade de produzir o Aedes do Bem em qualquer escala e estamos preparados para expandir nossa produção para ajudar a proteger ainda mais brasileiros e todas as demais pessoas que são afetadas pelo Aedes aegypti”, afirma Glen Slade, diretor da Oxitec do Brasil e VP da Oxitec.

Desde o final de abril de 2015, o Aedes do Bem tem sido liberado em Piracicaba, com bons resultados. Levantamentos preliminares mostraram uma diminuição de 82% na população de larvas do Aedes aegypti selvagem em comparação com uma área controle. Em julho de 2016, a Vigilância Epidemiológica (VE) de Piracicaba divulgou dados indicando uma redução de 91% no número de casos de dengue registrados no ano-dengue 2015/2016 em comparação com 2014/2015. 

O mosquito transgênico recebeu parecer favorável de biossegurança da CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança). Com o nome técnico de OX513A, o inseto é considerado seguro do ponto de vista humano, ambiental, animal e vegetal. Nos Estados Unidos, a FDA (Food and Drug Administration), concedeu ao Aedes do Bem um Resultado de Impacto Não Significativo (FONSI na sigla em inglês), afirmando que ele não coloca riscos para a saúde humana e do ambiente. A OMS (Organização Mundial da Saúde) também recomendou o uso do Aedes do Bem™ em condições operacionais.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink