Fabricação de laticínios é tema de curso realizado em Coroaci

Agronegócio

Fabricação de laticínios é tema de curso realizado em Coroaci

O curso de Pasteurização do leite e fabricação de laticínios e afins foi uma parceria entre o Senar Minas e do Sindicato.
332 acessos

Entre os dias 16 e 20 de agosto foi realizado em Coroaci, no Vale do Rio Doce, o curso de Pasteurização do leite e fabricação de laticínios e afins (Básico) – uma parceria entre o Senar Minas e o Sindicato dos Produtores Rurais de Coroaci. Nos cinco dias de curso, os 11 participantes colocaram literalmente a mão na massa para aprender a fazer os queijos Minas Frescal, Muçarela - nas versões barra, nó, palito, trança e cabacinha -, Minas Padrão, Ricota, iogurte, requeijão em barra e doce de leite pastoso.

Seguindo as normas de segurança alimentar e a legislação junto aos órgãos de fiscalização, não se esquecendo da segurança no trabalho e das lições sobre custos e comercialização, o instrutor José Ferreira da Conceição avaliou que são inúmeras as possibilidades para quem quer investir neste ramo de produção.

“Os participantes aprenderam os procedimentos técnicos corretos para fabricar todos esses produtos dentro do que pede a legislação. Ou seja, ele terá condições de produzir com a mesma qualidade que as grandes empresas e com o padrão de excelência exigido pelo consumidor”, afirma.

O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Coroaci, Sílvio Matheus de Araújo, ressaltou o interesse da turma durante o evento. “Os participantes são homens e mulheres, pequenos produtores rurais que buscam aproveitar melhor o leite que extraem nas suas propriedades. Já há algum tempo eles haviam solicitado esse curso, que agora tivemos o privilégio de realizar aqui”, disse o presidente.

A mobilizadora Naiana Coelho de Menezes destacou que os participantes já tinham algum conhecimento na fabricação de laticínios, mas que todos foram surpreendidos com detalhes ensinados no curso. “Muitos já sabiam como fazer queijos, doces e requeijões, mas não da maneira certa. Muitos afirmaram que havia desperdício de leite durante a fabricação, mas que agora, após o curso, aprenderam a economizar e a utilizar a quantidade certa de material”.

A pecuária movimenta a economia da região, e agora aqueles produtores que não vendem o leite para a cooperativa vão poder produzir derivados do leite para comercializar no município, disse Sílvio Matheus. “No encerramento convidamos comerciantes da cidade, donos de padarias, mercearias e supermercados para que pudessem participar da degustação. Assim eles puderam ter uma ideia da qualidade do que foi produzido, e os participantes a oportunidade de mostrar os seus produtos, que poderão ser vendidos para estes comerciantes”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink