Faeal lança campanha de incentivo ao consumo de etanol

Imagem: Divulgação

Etanol

Faeal lança campanha de incentivo ao consumo de etanol

Faeal criou uma campanha para estimular o consumo de etanol no período de pandemia da covid-19
Por:
155 acessos

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas – Faeal – criou uma campanha para estimular o consumo de etanol no período de pandemia da covid-19. A iniciativa chama a atenção para o fato de o etanol ser patrimônio brasileiro, gerar empregos, renda e fortalecer o Estado. A estratégia também é contribuir para minimizar os impactos da crise no setor sucroalcooleiro, tão importante para a economia alagoana.

“O setor sucroenergético é fundamental para o desenvolvimento de Alagoas. Mesmo com a crise econômica enfrentada nos últimos anos, chegou a responder por cerca de 80 mil empregos diretos no estado, no final de 2019, período de safra. Por isso, neste momento extremamente difícil que o mundo inteiro enfrenta, abastecer com etanol é incentivar a produção nas usinas de cana-de-açúcar e garantir o sustento de milhares de alagoanos”, afirma o presidente da Faeal, Álvaro Almeida.

A cadeia produtiva da cana-de-açúcar ocupa a maior área cultivada no Estado de Alagoas, com cerca de 350 mil hectares, e reúne aproximadamente 6,5 mil produtores. Além do açúcar e do álcool, o setor também produz energia a partir da queima do bagaço da cana. Mesmo com a crise dos últimos anos, o contingente de moagem da safra atual é de 18 milhões de toneladas.

“Este setor é de uma importância social extrema. Neste momento, não devemos olhar simplesmente a relação de custo, mas, sim, a sustentabilidade e a continuidade dessa atividade secular em nossa região, para que ela se mantenha firme, distribuindo renda, emprego, gerando capital e fazendo com que o desenvolvimento do Estado de Alagoas aconteça”, comenta Edilson Maia, vice-presidente da Faeal.

No último mês de abril, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA – e mais nove entidades do setor sucroenergético encaminharam ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, um documento com medidas emergenciais para evitar o colapso do segmento diante dos impactos da crise na cadeia produtiva provocada pela pandemia do coronavírus e agravada pelos baixos preços internacionais do petróleo.

Entre as medidas emergenciais propostas, que permitirão a sobrevivência do setor se adotadas em conjunto, estão a instituição de um programa de warrantagem (uso do produto como garantia em empréstimo), a isenção temporária de PIS/Cofins sobre o etanol hidratado e o aumento da Contribuição de Intervenção sobre Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina para recuperar a competitividade do etanol.

As entidades também pedem medidas de garantia de remuneração aos produtores de cana-de-açúcar, especialmente os fornecedores independentes da matéria-prima. Neste contexto, solicitam ações para assegurar que as usinas “sejam capazes de cumprir os compromissos com eles assumidos, pagando em dia os contratos de fornecimento”.

No documento, as entidades alegam que o etanol, um dos produtos mais impactados pela crise, tem sido vendido abaixo de seu valor de custo. Se permanecer assim, usinas serão obrigadas a interromper a safra que mal começou, com efeitos impensáveis para uma cadeia que envolve produtores de cana, fornecedores de máquinas e insumos, cooperativas e colaboradores em mais de 1.200 cidades brasileiras.

“O colapso atingirá muitas das 360 usinas e destilarias, além de 70 mil produtores rurais, que, juntos, oferecem cerca de 750 mil empregos diretos e, pelo menos, 1,5 milhão de postos indiretos, em mais de 1200 cidades brasileiras, sem falar na indústria de base e naquela de máquinas e de equipamentos. São 370 usinas e destilarias, 70 mil fornecedores de cana-de-açúcar, num total de 2,3 milhões de empregos diretos e indiretos que estão sob ameaça iminente”, diz o documento.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink