Faeg participa de reunião na Emater sobre a produção agropecuária

Agronegócio

Faeg participa de reunião na Emater sobre a produção agropecuária

José Mario Schreiner participou de reunião histórica com a finalidade de alinhar ações conjuntas
Por:
271 acessos

José Mario Schreiner participou de reunião histórica com a finalidade de alinhar ações conjuntas 

Com o intuito de integrar e alinhar discussões sobre a produção agropecuária, o Sistema Faeg/Senar, representado pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mario Schreiner, participou de reunião na Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), realizada nesta segunda-feira, 3. O evento foi realizado no Centro de Treinamentos da instituição, em Goiânia. Outras entidades ligadas ao setor agrícola também participaram desta reunião, entre elas:  a Associação dos Produtores de Soja de Goiás (Aprosoja Goiás), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa).

Segundo José Mário, a reunião foi importante para definir novos impasses ao setor produtivo e também para alinhar ações conjuntas com as demais entidades. “É importante trazer discussões como estas, tendo em vista que o agronegócio brasileiro é o que impulsiona a economia do país, mesmo em tempos de crises política e econômica. É preciso, portanto, investir cada vez mais em agregação de valor para trazer rentabilidade aos produtores rurais”, ressaltou.

Setor Produtivo

Quem também concorda com o posicionamento de José Mário é o diretor da Agência de Inovação Rural, Antelmo Teixeira Alves. Para ele, é necessário que todas as ações desenvolvidas pelas entidades estejam alinhadas, para que não executem simultaneamente um mesmo trabalho. Dados apresentado por ele só comprovam a afirmação, já que cerca de 90 mil famílias da zona rural apresentam uma renda mensal abaixo da expectativa média.

Para Pedro Arraes, presidente da Emater, a sistemática tem como finalidade promover a emancipação produtiva e econômica dos produtores rurais em Goiás. “A meta é que, a médio prazo, 27 mil famílias alcancem uma renda mensal de 38,7 salários mínimos, objetivo trabalhado nos eixos de pesquisa e extensão, por meio da nova metodologia Rede de Inovação Rural, frisou.

Pesquisa e Extensão

Durante a reunião, Pedro Arraes chamou a atenção dos representantes das entidades que integram o setor produtivo agropecuário. De acordo com o presidente, o modelo de pesquisa aplicada e a metodologia Rede de Inovação são propostas inovadores que visam uma atuação conjunta no repasse de informação qualificada e contínua ao produtor.

A união entre os representantes também foi um dos pontos ressaltados pelo diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural, Antelmo Teixeira Alves. Ele acredita que os principais gargalos enfrentados é o número reduzidos de profissionais na área de assistência técnica e extensão rural. “Por meio dos arranjos podemos solucionar essa demanda e levar aos produtores rurais uma assistência técnica contínua e qualificada que rege a metodologia Rede de Inovação Rural”, enfatizou Antelmo.

A diretora de Pesquisa Agropecuária, Maria José Del Peloso, acredita que integração entre todos que compõe os diversos elos da cadeia produtiva também deve acontecer na área de pesquisa em Goiás. Durante sua apresentação, ela explicou os gargalos enfrentados pela área no estado, enfatizando os trabalhos desenvolvidos pela Emater, entre eles: o Programa de Validação de Cultivares, que tem como finalidade observar a adaptação de variedades aos solos e climas característicos do estado de Goiás.

Resultados

Após as exposições realizadas pela equipe da Agência de Inovação Rural, os representantes se mostraram surpresos e empolgados. Com discursos voltados também para a integração entre os elos, os participantes deixaram “portas abertas” para a concretização de parceiras. Para o diretor técnico do Sebrae, Wanderson Portugal Lemos, uma das dificuldades recorrentes na aplicação das ações pode ser sanada por meio da união entre as entidades do setor. “Se unirmos no mínimo três instituições, por exemplo, facilitaria na obtenção dos recursos para a aplicação das ações”, afirmou o diretor.

A iniciativa também chamou a atenção do presidente da Faeg, José Mário. Para ele, a Emater tem desenvolvido um ótimo trabalho. “Estamos aqui para implementar uma parceria que tem tudo para avançar”, destacou. Na ocasião, José Mário se mostrou à disposição para consolidar ações conjuntas.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink