Falta de diálogo apontado como vilão na cadeia da carne

Agronegócio

Falta de diálogo apontado como vilão na cadeia da carne

Representantes do setor produtivo participam de audiência sobre cadeia da carne
Por:
2 acessos

A falta de diálogo entre o setor produtivo, indústria e varejo é consensualmente o maior vilão na cadeia produtiva da carne, segundo reconhecem os produtores presentes esta manhã em audiência pública que ocorre esta manhã na Assembléia Legislativa, em Campo Grande.

O presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Laucídio Coelho Neto, diz que os entraves se acirraram a partir da implantação do Sisbov (Sistema de Identificação de Origem Bovina e Bubalina), que ao invés de premiar animais rastreados penalizou toda a classe, com nivelamento de preços por baixo. “Os frigoríficos participam pouco das negociações e os pecuaristas estão ficando com todo o ônus”, diz.

O presidente do SRCG (Sindicato Rural de Campo Grande), Rodolfo Vaz de Carvalho, disse que há muito se sabe que os supermercados têm a maior fatia do lucro mesmo sendo o elo que fica menos tempo com o produto e que menos agrega valor. Porém, afirmou que não há como apontar um único vilão. O problema, admite, é a falta de conversa entre os elos. O economista Ido Michels, que desenvolveu o estudo da cadeia da carne, afirma o varejo fica com 24% do lucro. O responsável pela conclamação da audiência, deputado Paulo Corrêa (PL), reclamou da ausência da bancada federal e do secretário de Produção e Turismo, Dagoberto Nogueira, que está hoje em Coxim inaugurando centro de meteorologia.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink