Agronegócio

Falta de estrutura trava agricultura familiar no RS

carência de recursos financeiros e humanos e a falta de conhecimento sobre o Suasa
Por:
1026 acessos
A carência de recursos financeiros e humanos e a falta de conhecimento sobre o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) são os principais fatores que emperram o desenvolvimento das agroindústrias no Rio Grande do Sul. No Estado, somente seis municípios possuem termo de adesão ao Suasa, que permite aos produtores locais a comercialização de ovos, queijos, embutidos de carne, mel e doces em todas as cidades do Brasil. São eles: Santa Cruz do Sul, Erechim, Crissiumal, Alegrete, Santana do Livramento e Rosário do Sul.


De acordo com o superintendente técnico da Famurs, Mário Ribas do Nascimento, apenas 26% das prefeituras afirmam ter solicitado adesão ao Sistema. Esse é o resultado de um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), apresentada nesta terça-feira (24/9), na Assembleia Legislativa, durante a realização da etapa gaúcha dos Seminários Nacionais sobre o Sistema Brasileiro de Inspeção aos Produtos de Origem Animal. Promovido pela CNM em parceria com o governo federal e com a Famurs, o evento reuniu cerca de 250 pessoas, entre secretários e técnicos municipais.


Segundo a pesquisa da Confederação, o Rio Grande do Sul está na frente da média nacional de prefeituras com o Serviço de Inspeção Municipal (SIM). Dois em cada três municípios possuem o SIM, enquanto - no Brasil - apenas 24% das prefeituras contam com serviço.


Conforme Nascimento, os municípios carecem, sobretudo, de recursos financeiros para instalarem o SIM e solicitarem adesão ao Suasa. "O serviço municipal de inspeção deve receber o mesmo tratamento que a Vigilância Sanitária, que é financiada com recursos do Ministério da Saúde", argumentou o superintendente.


As entidades municipalistas reivindicam do governo federal um repasse de R$ 10 mil mensais por município para o pagamento de salários da equipe de fiscalização, que deve ser composta por, no mínimo, um médico veterinário.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink