Famasul participa de reunião técnica sobre ações de combate a incêndios no Pantanal
CI
Imagem: Pixabay
EVENTO

Famasul participa de reunião técnica sobre ações de combate a incêndios no Pantanal

“Ter hoje 87,6% do Pantanal de MS preservado reflete o trabalho incansável de homens e mulheres pantaneiros"

“Ter hoje 87,6% do Pantanal de Mato Grosso do Sul preservados é fruto do trabalho incansável de homens e mulheres pantaneiros, que criaram ao longo de mais de 270 anos, um sistema de produção pecuária aliado à sustentabilidade, e que permite a ocupação e preservação desse bioma, sendo 90% de propriedades privadas. Precisamos buscar meios para que esse modelo de produção seja garantido, e não modificado”, disse o presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, durante reunião de trabalho da CTE (Comissão Temporária Externa), no sábado (03), em Corumbá.

Além de parlamentares de MS e MT, o evento reuniu autoridades civis e militares, produtores rurais, técnicos e representantes dos Governos Federal e Estadual.  A agenda teve início com sobrevôo das áreas atingidas pelos incêndios, com saída do Aeroporto de Corumba e, na sequencia, reunião técnica no Centro de Convenções.

Estiveram presentes o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente), almirante Flávio Augusto Rocha (Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos), Wesley de Almeida Felinto (Desenvolvimento Agrário), os senadores Wellington Fagundes (MT), Nelsinho Trad, Simone Tebet, Soraya Thronicke, o governador Reinaldo Azambuja, e o diretor-tesoureiro do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni.

 “Esse ano iniciamos um ciclo que deverá durar pelo menos 4 anos, aliando baixa pluviosidade e altas temperaturas, combinação extremamente propícia para surgimento e propagação de focos de incêndio no Pantanal. Temos legislações; o que precisamos é unir esforços para que, de maneira conjunta e coordenada, estruturemos uma rede de prevenção e combate aos incêndios”, disse Saito, reforçando a aprovação da Lei 12.651/12, o Novo Código Florestal Brasileiro; a regulamentação do Artigo 10, específico para o Pantanal, e o decreto estadual 14.273/15, que Dispõe sobre a Área de Uso Restrito da planície inundável.

 “Temos que nos prepararmos com uma brigada eficiente e bem treinada, com atuação permanente em todo o Pantanal e evitar que os incêndios se propaguem”, afirmou Reinaldo Azambuja ao sugerir a criação de uma Brigada Permanente no Pantanal.

 “Destaco aqui o avanço de MS na regulação das regras de uso do fogo controlado e outras medidas ambientais, que proporcionam garantia jurídica no campo. Precisamos unir esforços para avançar ainda mais no combate aos incêndios”, disse o ministro Salles. 
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink