Agronegócio

Fecoagro/RS aponta retomada da safra

O levantamento aponta um processo de elevação de preços e queda de custos
Por: -Redação
4 acessos

Pela primeira vez nos últimos três anos, os produtores de grãos do Rio Grande do Sul podem vislumbrar um cenário de recuperação, na safra 2006/07. O levantamento realizado pela Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro/RS) aponta um processo de elevação de preços e queda de custos entre outubro de 2005 e outubro de 2006. O estudo engloba milho, soja e trigo. A tendência se fortaleceu neste mês, com a reação mais intensa das cotações, impulsionadas pela entressafra, entre outros fatores. Contudo, o quadro não assegura rentabilidade. Neste momento, os dados nos mostram uma situação de equilíbrio, explicou o presidente da Fecoagro, Rui Polidoro Pinto.

De acordo com o economista Tarcísio Minetto, autor do estudo, as margens são reduzidas em comparação aos 30% considerados remuneradores. Na soja, o produtor está ganhando R$ 1,48 por saca e no milho apenas R$ 0,11. No trigo, a cada saca, o produtor perde R$ 0,29. A situação é fruto da quebra de 50% na produtividade devido à geada. O prejuízo entre os que triticultores que financiaram a safra fora do crédito oficial chegaria a R$ 180 milhões.

Polidoro calcula que, considerando o atual cenário e o estoque da dívida no RS - de R$ 1,4 bilhão -, serão precisos até cinco safras para voltar ao patamar de renda de 2002. O setor busca soluções rápidas para retomada dos investimentos. Uma delas, o Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias (Procap-Agro), está em formatação. BNDES, Codefat, Denacoop e entidades discutem o projeto, que apresenta complicadores. O desafio é achar o equilíbrio entre o risco dos agentes financeiros e a dificuldade do setor produtivo em acessar o crédito devido ao esgotamento da capacidade de endividamento. Apesar disso, o diretor do Denacoop, Paulo Roberto da Silva, aposta numa solução ainda em 2006. Temos esperança que o mecanismo possa ser regulamentado neste ano.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink