Feijão caupi pode substituir bolo de soja para porcos

ALTERNATIVA

Feijão caupi pode substituir bolo de soja para porcos

Medida busca limitar os gastos em alguns lugares do mundo
Por: -Leonardo Gottems
120 acessos

Testes de laboratório promovidos pela Universidade Nacional da Colômbia (UN) concluíram que uma variedade de feijão caupi poderia substituir o bolo de soja como fonte dietética para porcos. Na Colômbia, a maioria da soja para esse fim é importada, o que torna o produto caro. 

De acordo com Julieta Torres Jaramillo, doutoranda em Ciências Agrárias da Universidade, o tratamento térmico, em condições de laboratório, permite que a proteína mais digerível desta variedade seja estimulada. “Os resultados mais importantes foram obtidos quando os grãos de feijão caupi foram mantidos em autoclave (vaso de pressão de metal) para cozinhar a 121 º C por cinco minutos”, afirma. 

Este resultado é importante em vista da possível incorporação de feijão-caupi na produção industrial de suínos. Embora os resultados também pudessem ser otimizados com a manutenção do tratamento por 20 minutos, em termos de custo, eficiência e gasto energético seria mais rentável implementá-lo por 5 minutos, explica ela. 

Segundo informações do Javier Lopez Molina, formado em Ciências Agrícolas o caupi é uma leguminosa nativa da África com alto valor nutritivo e amplamente cultivada na Ásia e no Caribe pela rapidez da sua colheita, a sua tolerância para climas secos e a sua adaptação a solos ácidos e de baixa fertilidade. Esta cultura é acoplada às condições da costa caribenha do país e pequenos agricultores cultivam a cultura para o consumo em grão seco ou vagens verdes. 

O trabalho consistiu em buscar alternativas para substituir o bolo de soja, que embora seja fonte de proteína de melhor qualidade, é também o mais caro na produção de suínos. "Nos trópicos temos uma grande variedade de leguminosas, como feijão-caupi, cujos valores nutricionais não foram suficientemente estudados. Isso também seria uma alternativa para a indústria de rações e pequenos produtores ", afirma o pesquisador. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink