Feijão sofre perdas no Ceará

Agronegócio

Feijão sofre perdas no Ceará

A chuva já comprometeu parte das lavouras em Juazeiro do Norte, no sul do Ceará. O feijão é uma das culturas mais prejudicadas
Por:
297 acessos
A chuva já comprometeu parte das lavouras em Juazeiro do Norte, no sul do Ceará. O feijão é uma das culturas mais prejudicadas.

Rios cheios açudes transbordando. Na maioria dos municípios da região sul do Ceará já choveu quase o dobro da média anual histórica que é de 800 milímetros. Muitos plantios nas áreas de baixios ou nas regiões ribeirinhas foram alagados. As maiores perdas são na cultura do feijão.


O engenheiro agrônomo José Ladislau de Sousa explicou o porquê dos prejuízos. “Quem plantou principalmente no início de janeiro, a fase de colheita foi exatamente agora no mês de março e acontece esse excesso de chuva. Por isso, tem havido essa perda no feijão”, disse.


O agricultor Cícero Fidélis percorre a lavoura em busca de uma vargem sadia. Mas a maioria do feijão está ruim. “A gente faz o que pode. Planta, tenta colher para comer mais a vizinhança”, disse.

Só em uma vila, em Juazeiro do Norte, onde a maioria dos agricultores se dedica ao plantio de feijão, os prejuízos são superiores a 50%.

“Tirando o feijão, botando maduro para secar, aproveita-se. Mas tem mais da metade podre. Aí não tem condição”, falou o agricultor Jucier Bezerra da Silva.

A chuva dos últimos dias também está causando problemas para os moradores do sul do Amapá.

No município de Laranjal do Jari, quinhentas famílias estão desabrigadas por causa da cheia do rio Jari. Segundo a Defesa Civil, o nível do rio está quase três metros acima do normal. As pessoas estão sendo abrigadas em escolas, igrejas e casas de parentes. A prefeitura decretou situação de emergência.


O governo anunciou, nesta segunda-feira, que o Programa Garantia-Safra, que ajuda pequenos agricultores prejudicados pela estiagem, vai atender também quem perdeu as lavouras por causa da chuva. A medida provisória que regulamenta o benefício deve ser publicada nos próximos dias.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink