Feira deverá reunir expositores do Brasil e de países vizinhos

Agronegócio

Feira deverá reunir expositores do Brasil e de países vizinhos

Feira pretende movimentar negócios da indústria de alimentos, medicamentos e acessórios para animais domésticos
Por: -Guilherme Arruda
6 acessos

A direção pretende movimentar negócios da indústria de alimentos, medicamentos e acessórios para animais domésticos, que cresce ao ritmo de 20% ao ano no país, mas como se trata da primeira edição, não há previsão de valores.

"Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (Anfal Pet) mostram que o Brasil tem a segunda maior população de animais domésticos, perdendo apenas para os Estados Unidos", informa o diretor da Efep, Lélis da Cunha, acrescentando que o mercado brasileiro pode ir muito além dos resultados já conquistados. Estima-se que somente cães e gatos têm potencial para consumir 3,45 milhões de toneladas de rações por ano e gerar um faturamento de quase US$ 3 bilhões.

Conforme o empresário, das aproximadamente 9 mil lojas especializadas em funcionamento no país, mais de 3 mil estão no Rio Grande do Sul, que detém 35% do mercado nacional. "Esta é a primeira feira pet fora de São Paulo", assegura o empreendedor.

"Trata-se de um segmento que comercializa uma alta variedade de produtos e está em expansão", destaca Cunha. "Faltava uma feira que pudesse atender ao grande mercado da região sul do país", conta. Lélis destaca também que o Rio Grande do Sul possui quatro das maiores fábricas de rações para animais domésticos do país: Alisul Alimentos (Rações Supra), Nutrire Alimentos (Monello e Birbo), Purina (Beneful, Delly Dog) e Hartz Mountain.

"Agora o grupo gaúcho Josapar também está entrando neste segmento", avisa o empresário, complementando que, segundo o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) e a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa), o Rio Grande do Sul é um mercado em desenvolvimento, neste setor.

Cunha estima que a feira deverá reunir cerca de 200 expositores do Brasil, Uruguai e Argentina, atraindo 20 mil pessoas, sendo metade de empresários e profissionais da área, e a outra metade de público em geral. A Febrapet tem apoio do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), da Associação Patronal dos Médicos Veterinários do Rio Grande do Sul (Patronalvet-RS), que paralelamente fará um Simpósio internacional de Dermatologia Veterinária, e de outras entidades representativas do setor, além do Kennel Club.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink