Feiras do Peixe no RS devem comercializar mais de 93,5 toneladas

Agronegócio

Feiras do Peixe no RS devem comercializar mais de 93,5 toneladas

Preço médio do quilo de peixe vivo da região se estabilizou em torno de R$ 8,00
Por: -Joana
1287 acessos
Neste ano, as feiras do peixe e as vendas nas propriedades rurais e pesque-pagues estarão acontecendo em dez municípios da região Paranhana, durante a Semana Santa. A Emater/RS-Ascar, prefeituras e associações de piscicultores organizam feiras com a intenção de comercializar 93,5 toneladas. Segundo o agrônomo da Emater/RS-Ascar, Décio Cotrim, a instituição se envolve repassando orientações técnicas aos agricultores e pescadores e qualificando os processos de beneficiamento, transporte, e os espaços de comercialização.


O preço médio do quilo de peixe vivo da região se estabilizou em torno de R$ 8,00. “Porém, esse preço médio varia de acordo com a região em função do volume de pescado a ser ofertado e da busca por parte dos consumidores pelo produto”, diz Cotrim. As vendas de peixes acontecem em Igrejinha, Ivoti, Morro Reuter, Presidente Lucena, Riozinho, Rolante, Santa Maria do Herval, Taquara, Três Coroas e Parobé.

PEIXE CHEGA ÀS ESCOLAS – Em Parobé, no Vale do Paranhana, o peixe faz parte do cardápio de 29 escolas, sendo 25 municipais e quatro estaduais. A proposta de inserir a carne de peixe na alimentação escolar surgiu em 2010, através de uma parceria entre o piscicultor Cláudio Dickel, a Emater/RS-Ascar e a Secretaria Municipal de Agricultura.


Em sua propriedade, Dickel realiza a criação dos peixes, processamento da carne e envio para as escolas. Apenas animais da espécie tilápia são criados no açude. “O repasse para a merenda escolar acontece de 15 em 15 dias e até o final do ano deverão ser entregues 2,2 toneladas. Estamos trabalhando para que, no ano que vem, as crianças recebam semanalmente o peixe”, explica a engenheira agrícola da Emater/RS-Ascar em Parobé, Mila Carolina Noronha.

Para o ano de 2012 deve ocorrer um aumento da produção no município, com a participação de mais quatro piscicultores, que irão ceder os peixes para Dickel, que fará o repasse junto às escolas. “A partir deste trabalho, teremos um aumento de demanda para quatro toneladas destinadas a merenda escolar”, completa Mila.


As informações são da assessoria de imprensa da Emater/RS-Ascar.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink