Ferramenta de avaliação melhora mercado de touro

Agronegócio

Ferramenta de avaliação melhora mercado de touro

Aplicação da DEP aperfeiçoa seleção de animais ideais para reprodução
Por:
17 acessos

Ferramenta de avaliação da pecuária de corte, o uso da DEP (diferença esperada na progênie) converteu a seleção de gado de arte em ciência, levando a verdadeira democratização do mercado de touros da era moderna.

Zootecnista da Agro-Pecuária CFM, Gabriela Giacomini lembra que, antes do cálculo da DEP, o pecuarista se baseava no pedigree e em avaliações visuais para determinar seus melhores reprodutores. “Selecionadores experientes atingiam grande margem de acertos, mas a comprovação só viria, em média, três anos depois da decisão, com o uso do animal e nova avaliação de suas crias, um risco muito grande.”

Segundo Gabriela, a DEP significa o que esperar dos filhos de determinado reprodutor. É ferramenta poderosa de comparação, porque baseada baseada em valores relativos. Seu cálculo é feito com a comparação de determinado reprodutor (dono da DEP) com animal de DEP zero ou com a base genética da população avaliada. Leva em conta uma série de fatores, de forma a isolar o valor genético dos efeitos do ambiente e do manejo.

A zootecnista observa ainda que não é possível comparar DEP calculada por programas de seleção diferentes, pois as bases genéticas das avaliações não são as mesmas. “Ao se analisar touro com DEP de peso ao desmame de 12 kg, pode-se dizer que, em média, seus filhos serão 12 kg mais pesados na desmama que touro com DEP zero”, exemplifica.

De acordo com Gabriela, o uso da DEP permite dizer que, ao usar touro melhorador, o potencial genético dos animais será proporcional à qualidade do reprodutor.

“Assim, se dermos os recursos mínimos para esse potencial se expressar [água, pasto, sal mineral adequado e boas condições sanitárias], o resultado está garantido.”

O governo emite o Ceip (Certificado Especial de Identificação e Produção) a quem utiliza a DEP. O Ceip dá isenção fiscal e acesso a financiamentos. O criador só vende até 30% dos melhores animais de cada safra.

Empresa cria fórmula para aprimoramento

Em busca do touro ideal, a CFM, de Rio Preto, criou índice composto de 20% de peso ao desmame, 40% de DEP de ganho de peso pós-desmama a pasto, 20% de musculosidade e 20% para perímetro escrotal.

“A empresa foge de modismos e está sempre focada em objetivos de seleção bem traçados: precocidade, musculosidade e ganho de peso 100% a pasto”, diz a zootecnista Gabriela Giacomini.

Recomendações

Sistema de criação

Na hora de selecionar o touro para melhorar a genética do rebanho, é fundamental saber o sistema de criação usado para produzir o animal que será escolhido. Deve-se priorizar animais de rebanhos que tenham seleção semelhante ao da propriedade onde eles serão utilizados.

Análises indispensáveis

É importante analisar a DEP de circunferência escrotal, probabilidade de prenhez aos 14 meses e longevidade das fêmeas do rebanho.

Requisitos básicos

O touro ideal deve ter avaliação genética, Ceip e ser oriundo de programa de seleção adequado. É necessário, ainda, conhecer o rebanho de vacas e identificar as características que precisam de intervenção para melhoria.

Lucratividade

Com uso correto da DEP, o pecuarista toma decisões de impacto direto na lucratividade. Erros com a genética refletem por muitos anos na propriedade. É preciso cuidado na escolha de fornecedor de touros.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink