Ferrugem asiática está sob controle

Agronegócio

Ferrugem asiática está sob controle

Até esta segunda-feira (14) o Paraná havia registrado 244 casos da doença
Por:
404 acessos
Até esta segunda-feira (14) o Paraná havia registrado 244 casos da doença; índice é o menor dos últimos cinco anos

A situação da ferrugem asiática da soja está sob controle nas lavouras brasileiras e paranaenses. Mesmo com o número de elevado de casos, o índice de focos ainda é o menor dos últimos cinco anos. Até esta segunda-feira (14), o Consórcio Antiferrugem, coordenado pelo Ministério da Agricultura, havia registrado 244 casos de ferrugem nas lavouras de soja do Paraná. Em todo o País, o número de focos chega a 526.


A maioria das lavouras paranaenses já está em fase de enchimento de grãos, com alguns produtores se preparando para a colheita. ''As lavouras estão bem adiantadas e os agricultores estão fazendo o controle'', avalia a pesquisadora da Embrapa Soja, Cláudia Godoy. Segundo ela, os focos estão bem espalhados e, por esse motivo, é difícil encontrar alguma região que apresente perda de produtividade causada pela ferrugem.


O clima chuvoso e com altas temperaturas favorece o aparecimento do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da doença. ''O clima tem favorecido bem a doença, mas os fungicidas têm controlado. Mesmo assim, os produtores não devem descuidar da doença'', orienta a pesquisadora. Na safra passada, foram registrados 2.370 focos em todo o País, número 77,8% maior do que o registrado na safra atual. No Paraná, a redução é menos significativa (7,9%), sendo que na safra 2009/2010 foram contabilizados 265 casos da doença.


De acordo com a pesquisadora, a influência do La Niña e o controle feito pelos produtores contribuíram para o número reduzido de casos. ''O número de focos este ano é bem menor. O La Niña influenciou a entrada da doença. A falta de chuvas atrasou o início do plantio e, consequentemente, o aparecimento da ferrugem. Além disso, os produtores estão fazendo o controle'', explica Cláudia.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink