Soja

Ferrugem asiática pode resultar em perdas de 7% na safra de soja

O Deral aponta que as perdas devem chegar aos 7%
Por:
497 acessos

A ferrugem asiática atingiu as lavouras da região Oeste. Os acompanhamentos realizados pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral) apontam que as perdas devem chegar atingir 7% na área de abrangência. A expectativa atual é que a safra chegue a 1 milhão e 690 mil toneladas do grão.

A melhora do clima contribuiu para nessa etapa final, segundo o técnico de departamento do Deral João Luiz Nogueira. “O tempo úmido, chuvoso e quente impossibilitou que os produtores pudessem tomar as medidas cabíveis de combate e controle da ferrugem asiática e isso irá interferir nos resultados finais”.

O profissional ressalta que a ferrugem asiática foi mais intensa no Estado este ano, contudo, não foi o único problema que afetou a lavoura. Ele pontua que tiveram outros contratempos como doenças, clima desfavorável no início da germinação, entre outras pragas.

“Mesmo com esse cenário, avaliamos que isso não irá interferir de maneira tão impactante na safra em termos de produtividade. Fazemos esses apontamentos com base nos trabalhos dos técnicos que estão acompanhando o trabalho no campo”, destaca Nogueira.

A colheita deve ser intensificada depois do dia 10 de fevereiro. Segundo o técnico, muitos produtores devem adotar o sistema de dessecação. Ele acrescenta que o melhor para toda a cultura é seguir o ciclo normal, entretanto, existe a necessidade de colheita para em seguida iniciar o plantio de milho.

MILHO

“Praticamente não temos plantação de milho no verão. No ano passado, na safrinha tivemos uma área de apenas 4 mil hectares. Enquanto que a safra normal chegou a 445 mil e 285 hectares safrinha do ano passado. Ou seja, é preciso colher a soja e na sequência plantar o milho, pois já estamos atrasados. Mesmo com os preços não sendo os melhores, a cultura é muito importante para o abastecimento da região”, alerta.

FERRUGEM ASIÁTICA

A praga é considerada uma das piores que podem atingir as lavouras de soja. O fungo ganhou resistência, nos últimos anos, sobre os fungicidas que eram usados para combatê-lo. Contudo, os profissionais afirmam que ainda é possível lutar contra a praga com a aplicação de produtos específicos.

EXPECTATIVA

22,7 milhões de toneladas de grãos devem ser colhidos no Estado

A expectativa é que a colheita no Estado seja de 22,7 milhões de toneladas de grãos, o que corresponde a um volume de 2,5 milhões de toneladas de grãos a menos este ano. A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento confirma uma redução de 10% para a safra de grãos de verão 2017/18 em relação à produção no mesmo período do ano passado.

Uma pesquisa efetuada, em dezembro e janeiro, pelo Departamento de Economia Rural (Deral), aponta que as perdas esperadas nas safras de milho e feijão estão contribuindo para essas quedas. Em relação ao milho, a diminuição na área plantada está projetando uma redução de quase dois milhões de toneladas na colheita.

Outro fator que irá refletir na colheita é o clima neste início de ano. As chuvas fortemente atingiram os cultivos de feijão. A perda inicial já detectada pelo Deral está estimada em 65 mil toneladas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink