Ferrugem no café pode causar quebra de 30% na produtividade
CI
Imagem: Marcel Oliveira
CONTROLE

Ferrugem no café pode causar quebra de 30% na produtividade

No Brasil, foi relatado inicialmente no estado da Bahia e posteriormente disseminou-se para todas as regiões produtoras de café do país
Por: -Aline Merladete

Para alcançar bons resultados nos cafezais, o agricultor deve estar atento ao manejo integrado de pragas e doenças. O controle da ferrugem é considerado um dos principais desafios para o desenvolvimento da cultura, podendo causar uma quebra de até 30% na produtividade. 

 O fungo possui distribuição mundial. No Brasil, foi relatado inicialmente no estado da Bahia e posteriormente disseminou-se para todas as regiões produtoras de café do país. É considerada, mundialmente, a doença mais importante da cultura. 

Os sintomas da doença surgem na face inferior da folha. No início, as manchas são pequenas, variando de 1 a 3 mm de diâmetro, com coloração amarelo-pálida. Posteriormente, as manchas podem atingir até 2 cm de diâmetro e passam a exibir coloração amarelo-alaranjada e aspecto pulverulento. Nessa fase é possível observar lesões cloróticas amarelas na face superior da folha, correspondentes às pústulas existentes na face inferior. Essas lesões aumentam de tamanho, e o centro adquire aspecto necrótico.

“A ferrugem no cafezal é uma doença que impacta diretamente na rentabilidade do agricultor, caso não sejam adotadas as práticas corretas de manejo. Por isso, a BASF busca auxiliar o cafeicultor com as melhores práticas de manejo para aumentar a rentabilidade e longevidade da sua produção. Um bom controle, com um eficiente pacote tecnológico e uma boa resposta de tratamento são imprescindíveis para alcançar altos níveis de produtividade, contribuindo com seu legado no campo”, ressalta Marcelo Rodacki, gerente de Marketing Café da BASF.

Os fungicidas de contato, principalmente os cúpricos, e os sistêmicos podem ser utilizados para o controle preventivo da doença. Recomenda-se efetuar alternância entre fungicidas de contato e sistêmicos. O emprego de fungicidas sistêmicos pode ser via foliar ou via solo. A calda viçosa, uma mistura de nutrientes que apresenta efeito fungicida, também é utilizada no controle. Sempre usar produtos que sejam registrados para as culturas.

De acordo com as informações da assessoria de imprensa, é importante sempre utilizar variedades produtivas, de mudas sadias e com tratos culturais recomendados. É considerável que antes do plantio, o agricultor estude as condições climáticas e ambientais da região para tirar maior proveito na seleção da variedade a ser cultivada. 

Já o manejo químico é um excelente aliado para o controle da ferrugem, um dos principais motivos de perda de produtividade. Nesse sentido, a BASF conta com os fungicidas Opera®, Orkestra® SC e Abacus® HC que além de serem efetivos no controle da ferrugem e de outras importantes doenças, promove efeitos fisiológicos positivos à planta. Com o portfólio BASF o agricultor incrementa a expansão do cultivo do café e o vigor das plantas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink