Fesa/MT entrega vacinas para o rebanho boliviano na fronteira
CI
Agronegócio

Fesa/MT entrega vacinas para o rebanho boliviano na fronteira

Parceria mantém status de sanidade do rebanho bovino de MT e do Brasil
Por:

CLARICE NAVARRO DIÓRIO
De Cáceres

O Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (Fesa/MT) realizou na última terça-feira a doação de 50 mil doses de vacina antiaftosa para o Comitê Mixto Brasil/Bolívia. A doação foi efetivada em San Matías, a 80 quilômetros de Cáceres (oeste de Cuiabá), e faz parte da regulamentação das ações de vacinação contra a febre aftosa na região de fronteira na Província Angel Sandoval e na fronteira do estado de Mato Grosso, no Brasil.


A parceria existe há 18 anos e possibilitou àquela região da Bolívia, conhecida como chiquitania, ficasse livre da doença, se tornando zona livre da aftosa com vacinação, mesmo status sanitário adquirido pelo Estado. Entregues pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea/MT), as vacinas foram adquiridas com recursos do Fesa/MT.

As vacinas foram entregues ao Agasam, entidade equivalente a um sindicato rural brasileiro. O presidente do Agasam, Wilfredo Peinado Cuellar, informou que o montante atinge 70% da demanda. As doses são doadas a pequenos produtores que possuem até 20 cabeças, e vendidas a produtores que possuem maior número de animais. "O objetivo é atender pequenos e médios. Os grandes fazendeiros compram por conta própria", informou. Com o dinheiro da venda, são executadas ações que beneficiam os produtores, como a construção de bretes comunitários para a vacinação.


A vacinação na região boliviana segue o modelo do Mato Grosso, sendo feita duas vezes ao ano, em períodos semelhantes, maio e novembro. A região tem um rebanho estimado em 140 mil cabeças e começou há pouco a exportar carne para países do Mercosul, como Equador, Peru e Venezuela. "Graças ao convênio que temos com o Brasil, nossa região tem um rebanho de genética superior, o que facilitou o processo de exportação", afirmou Wilfredo.

PARCERIA - O início da cooperação entre os dois países possibilitou o avanço da Bolívia no setor pecuário após o início da vacinação na área fronteiriça. Mato Grosso está livre da aftosa desde o ano de 2000. "O trabalho de vacinação é de interesse dos dois países, pois protege os rebanhos boliviano e brasileiro", afirmou o presidente do Sindicato Rural de Cáceres, Marcinho Lacerda, que esteve em San Matías com a equipe do Indea/MT, acompanhando a entrega das vacinas.


As doses começarão a ser utilizadas de imediato e em ritmo acelerado, segundo garantiu o veterinário boliviano David Soto Mariscal, que supervisiona o trabalho de vacinação. Serão vacinados animais de mamando a caducando, e esta etapa só não atingirá o rebanho que está na área do Pantanal, pela dificuldade de acesso.

Para a próxima etapa de vacinação, que acontece nos meses de outubro e novembro, o Fesa/MT irá doar outro lote de 65 mil doses, ao Comitê, como acontece todos os anos.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.