Final da La Niña segue na incerteza
CI
Imagem: Pixabay
TEMPO

Final da La Niña segue na incerteza

Projeções divergem em relação ao final do fenômeno
Por: -Aline Merladete

De uma coisa é certa, estamos sob o regime de La Niña praticamente desde meados do inverno de 2020. O último período com um El Niño ativo foi entre os trimestres de agosto, setembro e outubro de 2018 até maio, junho e julho de 2019. Passamos por um breve período de neutralidade climática entre maio e agosto de 2021, que mal surtiram efeito sobre a atmosfera. 

Também conhecido como El Niño Oscilação Sul (ENOS), o fenômeno rege o padrão das chuvas e temperaturas em praticamente todas as áreas do país e de maneiras diferentes de acordo com a época do ano. 

Nas últimas atualizações, de diversos centros de monitoramento ao redor do planeta, as condições para o fim do fenômeno ainda são incertas e graduais. São poucas as projeções que apontam para um final repentino do fenômeno e mesmo que ocorra, as condições atmosféricas demoram para responder a esta mudança de padrão.

Uma das definições para o estabelecimento da neutralidade climática na região equatorial do Oceano Pacífico é que a média das temperaturas fiquem acima de -0.5°C por pelo menos três meses. Do gráfico acima, nota-se que a previsão para essas temperaturas continuem abaixo deste limiar até pelo menos maio, junho e julho, e não apresentando uma elevação tão expressiva até pelo menos o trimestre de setembro, outubro e novembro. 

Dos registros históricos, desde 1950 que estas temperaturas são registradas, o maior período de La Niña ocorreu entre abril de 1973 até maio de 1976 com uma breve janela entre julho a outubro com temperaturas dentro da neutralidade climática, mas mesmo assim apresentando 0.4°C abaixo da média.

A permanência de La Niña pode influenciar as safras de inverno como trigo, canola, cevada e aveia branca na metade sul do país neste ano de 2022. Mas vale a ressalva de que, mesmo em uma condição de de La-Niña no mesmo do ano passado, 2021 teve recordes de safra de inverno.

Material exclusivo elaborado pela equipe Agrotempo*


 

 

 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.