Fiscalização constatou excesso de embalagens contaminadas no TO

Agronegócio

Fiscalização constatou excesso de embalagens contaminadas no TO

Seis unidades de recebimentos de embalagens vazias, nos municípios de Pedro Afonso, Silvanópolis, Formoso do Araguaia, Colinas, Araguaína e Lagoa da Confusão, foram fiscalizadas durante na última semana
Por:
676 acessos
Seis unidades de recebimentos de embalagens vazias, nos municípios de Pedro Afonso, Silvanópolis, Formoso do Araguaia, Colinas, Araguaína e Lagoa da Confusão, foram fiscalizadas durante na última semana, em uma ação desenvolvida pela Adapec-Agência de Defesa Agropecuaria e o Inpev- Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias. Durante a operação foi constatado um número elevado de embalagens vazias contaminadas nos postos de recebimentos, que indicaram a falta da tríplice lavagem, por parte dos produtores rurais.

Segundo o presidente da Adapec, Humberto Camêlo, o resultado da ação mostra que os agricultores têm atendido ao pedido da Agência quanto à devolução das embalagens, porém, não estão realizando a tríplice lavagem. “Essa falha impede que a embalagem seja reciclada e gera gastos, pois serão levadas a São Paulo pelo Inpev, onde deverão ser incineradas”, afirma, acrescentando ainda que o cuidado com as embalagens evitam a contaminação do meio ambiente.

O chefe do Núcleo de Agrotóxicos da Adapec, José Carlos Dias, explica que as visitas serviram como um termômetro para a Agência e o Inpev, e que a partir de agora as ações serão intensificadas nas propriedades rurais. “Vamos continuar fiscalizando e conscientizando os elos da cadeia produtiva: agricultores, fabricantes e comerciantes, sobre a importância da tríplice lavagem”, ressalta.

Vale lembrar, que nos postos de recebimentos é possível saber quem são os produtores que não estão fazendo a devolução de forma correta. Os que descumprirem as normas, prevista na Lei Federal de Agrotóxico nº 9974, poderão ser multados.

A tríplice lavagem deve ser realizada pelo agricultor em todas embalagens laváveis, assim que acabar o produto, para posteriormente devolvê-las às unidades de recebimentos, considerando que cada tipo de embalagem deve receber tratamento diferente, que pode ser consultado no próprio rótulo do produto. A quantidade de embalagens contaminadas será computada pelo Inpev, quando começarem o recolhimento nas unidades, previstas para iniciar no mês de setembro.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink