Agronegócio

Física do solo e Sistema Plantio Direto são temas de palestras em Passo Fundo

Atualização e aprofundamento sobre questões como a Física do Solo e o Sistema Plantio Direto foram o foco da Capacitação sobre Solo e Água realizada nesta quarta-feira.
Por:
2125 acessos

Atualização e aprofundamento sobre questões como a Física do Solo e o Sistema Plantio Direto foram o foco da Capacitação sobre Solo e Água realizada nesta quarta-feira (18/05), em Passo Fundo, na Casa Santa Cruz. Participaram extensionistas, entre agrônomos e técnicos, dos 40 municípios da região administrativa da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo.

O engenheiro agrônomo e professor da Universidade de Passo Fundo, Vilson Klein, abordou, entre outras coisas, conceitos de física do solo, o impacto na produção, como se faz um diagnóstico da qualidade física do solo e as consequências da compactação nas plantas e no ambiente. "Quando a gente tem um solo bom, elas suportam muito mais períodos com falta de chuva, por exemplo. Quanto temos um solo compactado, um solo com estrutura degradada, temos problemas de infiltração da água, o que vai acarretar erosão e problemas de suprimento de água para as plantas em períodos de deficiência hídrica", alertou Klein.

Na mesma linha, o pesquisador da Embrapa Trigo, José Eloir Denardin, falou sobre o Sistema Plantio Direto: percepções e constatações. Segundo ele, há atualmente um problema gravíssimo de degradação física do solo. "Com o abandono do arado e da grade, com a implantação do Plantio Direto, o solo não tem mais uma camada arável que é afofada todas as safras. Agora essa camada tem que ser construída pelas plantas, no entanto, apenas a soja e o pousio ou a soja e um cereal de inverno não tem condições de construir. Isso gerou uma degradação do solo", explicou. Ele salientou que por causa da compactação do solo houve perda de solo por erosão no período das chuvas e que no período de estiagem deverá haver perda de safra. "Isso vai ser mais oneroso. A situação é grave", destacou.

Denardin citou três ações necessárias para minimizar esse problema. "A primeira delas é reter água onde ela cai, ou seja, fazer a água infiltrar no solo. A segunda é proteger a lavoura com plantios em contorno, com máquinas equipadas com sulcadores, para ajudar a afofar a terra. Por último, se for preciso, colocar terraços para poder controlar as enxurradas", explicou. Segundo ele, cada situação vai exigir um tipo de manejo diferenciado. 

O gerente técnico estadual adjunto da Emater/RS-Ascar, Rogério Mazzardo, que acompanhou a capacitação, enaltece a importância de atualizar o quadro funcional da Instituição, para que estejam preparados diante dos desafios e das oportunidades. "A atualização e o aperfeiçoamento auxiliam nossos técnicos a construírem espaços de atuação, bem como a identificar oportunidades, sempre com vistas no público assistido", frisou Mazzardo. Ele acrescentou que as capacitações devem ser continuadas e estarem em consonância com os focos prioritários da região.

As capacitações na região de Passo Fundo, que vêm sendo coordenadas pelo gerente regional da Emater/RS-Ascar, Oriberto Adami, buscam aprimorar e qualificar o trabalho realizado pela Extensão Rural. Adami destaca que Conservação de Solo e Água é um dos eixos prioritários da região, alinhados ao Programa Estadual de Conservação de Solo e Água. Ele explica que foi formado um grupo de trabalho nessa e em outras áreas para aprofundar o estudo e traçar ações que refletirão nas propriedades assistidas. 

Na oportunidade, o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar Rafael Goulart Machado trouxe para discussão e encaminhamentos um material técnico padronizado sobre conservação de solo e água, que deverá ser utilizado na região.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink