Florestas plantadas podem ser incluídas em geração de crédito de carbono

Agronegócio

Florestas plantadas podem ser incluídas em geração de crédito de carbono

Essas florestas absorvem anualmente 1,5 bilhão de toneladas de CO2
Por:
820 acessos

Itamaraty (Adaptado por Painel Florestal) - A indústria brasileira de papel e celulose defende que as florestas plantadas sejam passíveis de geração de créditos de carbono. O objetivo é mudar o conceito atual de que apenas iniciativas que resultem na redução das emissões de poluentes sejam passíveis à geração desse mecanismo. A tese foi aceita para começar a ser negociada na Conferência Mundial do Clima (COP16), que terminou no última dia 10 em Cancun – México.

A Bracelpa considera que a busca de uma economia de baixo carbono deve gerar oportunidades para países como o Brasil, que dispõe de grande volume de florestas nativas e plantadas. A entidade lançou o primeiro relatório de sustentabilidade e o mapa do setor, que sistematizam dados sobre a atuação da indústria no País e o esforço das empresas na busca pela atuação responsável quanto ao consumo de energia, reciclagem, uso de água e redução das emissões de carbono. Por isso, a participação nas negociações climáticas visando à inclusão dos créditos.

ESTOQUE DE CARBONO

As florestas plantadas absorvem anualmente 1,5 bilhão de toneladas de CO2 da atmosfera, o que representa 66% de todo o carbono retido. No entanto, o Protocolo de Kyoto, que estabelece as regras dos créditos de carbono, não considera a sua inclusão uma vez que não há como garantir o estoque formado ao longo do tempo.

A proposta da Bracelpa estabelece o monitoramento periódico das florestas em relação ao volume de carbono estocado e o potencial de captura de CO2. Propõe também um acordo entre os negociadores para reposição de estoque e resseguro para as florestas plantadas. Com isso, afirma Elizabeth de Carvalhaes, haverá condições de oferecer garantias ao mercado e de fornecer dados futuros sobre a absorção de carbono. Apesar disso, a Bracelpa questiona o conceito de temporalidade das florestas plantadas, uma vez que o ciclo de absorção de CO2 nunca é interrompido. Segundo a entidade, mesmo quando uma árvore é colhida para aplicações diversas, em seguida, outra é logo plantada em seu lugar. Atualmente, as negociações de crédito de carbono de florestas plantadas só ocorrem no mercado voluntário.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink