Floricultura baiana avança para garantir autossuficiência

Agronegócio

Floricultura baiana avança para garantir autossuficiência

Este ano, o aumento foi acima do nacional – equivalente a 10%
Por:
1683 acessos
Com o alto consumo de flores, de plantas ornamentais e de paisagismo, a Bahia vem alcançando o objetivo de suprir com produção própria a demanda existente, que tem o crescimento anual em torno de 7%. Este ano, o aumento foi acima do nacional – equivalente a 10%.

O imenso nicho de mercado das flores do estado, que, ao produzir mais e melhor, gera benefícios de emprego e renda internamente, evolui em todo o aparato tecnológico e evita a evasão de divisas.

Segundo o engenheiro agrônomo da Secretaria da Agricultura, Ivson Andrade, as flores tropicais e temperadas são as duas vertentes principais do segmento na Bahia, mas apresentam duas realidades diferenciadas e complementares, ao ponto do crescimento de consumo de uma influenciar positivamente na demanda da outra.

As flores tropicais, conhecidas até pouco tempo como silvestres, passaram a ter utilização considerável e sempre evolutiva. Neste setor, principalmente no que se refere ao segmento decorativo, de arte floral e jardinagem, o estado alcançou a autossuficiência com o fornecimento de mais de 50 variedades de flores e outras tantas de folhagem.

Na composição da gama das flores tropicais, de maioria nativa, as espécies componentes da família das helicônias são as mais numerosas – em torno de 250.

O segmento das flores temperadas envolve cerca de 80% da flor consumida no mundo. A evolução da floricultura temperada se evidencia no aumento expressivo anual de 30% da área plantada, na profissionalização dos produtores, na diversificação das espécies plantadas e no menor tempo entre a colheita e o cliente.

A produção baiana se espalha por 50 municípios, concentrados em nove polos desenvolvidos pelo programa Flores da Bahia, que garante 35% da satisfação do consumo interno.

Se projetada a produção para os próximos cinco anos, a Bahia poderá conquistar de forma suficiente a demanda de 60%, incluindo a maior parte das variedades de flores temperadas, que pertencem à vida diária dos baianos.

Geração de empregos

Foram gerados cinco mil empregos diretos e mais de dez mil indiretos, considerando o número de 500 produtores atuantes em todo o estado, que possui 550 hectares – 100 de flores temperadas e 450 de flores tropicais.

Através do Flores da Bahia, implantado em 2003, foram criadas oportunidades de produção em quase todas as espécies de flores cultivadas no Brasil, considerando a potencialidade em função dos seis grandes biomas existentes no território nacional.

Os cinco biomas que ocorrem na Bahia geram toda essa condição. A Secretaria da Agricultura, através da 23ª edição da Fenagro, coloca à disposição do público exposições de flores até este domingo (5).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink