Fluxos comerciais de grãos podem direcionar aplicação de adubos em 2020 nos EUA

Imagem: Arquivo Agrolink

ADUBOS

Fluxos comerciais de grãos podem direcionar aplicação de adubos em 2020 nos EUA

Exportações mais tímidas de soja tendem a reduzir área plantada e aumentar a demanda por fertilizantes nitrogenados e potássicos
Por:
256 acessos

A indústria dos adubos adentra 2020 com a perspectiva de um fortalecimento da demanda, após se depararem com apetite de compras arrefecido nos Estados Unidos – e ampla oferta e estoques em outros polos consumidores, como Brasil, Índia e China. 

Após a assinatura da primeira fase do acordo comercial Estados Unidos–China, caso se concretize um quadro de exportações ainda limitadas da soja para a China, os sojicultores podem optar por limitar o avanço da área de soja, dando preferência para o cultivo do milho, este que apresenta potencial de escoamento da produção um pouco mais favorável no curto prazo, em virtude dos biocombustíveis, assim como para a alimentação animal. 

Segundo análise especial da Inteligência de Mercado da INTL FCStone, novos incrementos nos estoques norte-americanos de soja corroborariam para uma maior aplicação de nitrogenados e potássicos nos EUA, visto a necessidade de suprimento destes nutrientes nos milharais – enquanto os fosfatados, saindo de um ano de intensa desvalorização no mercado internacional em 2019, tenderiam a ficar em segundo plano, caso observada uma contração da área plantada da soja no médio e longo prazo.

“As expectativas para a adubação de pré-plantio e a de semeadura guiam o mercado internacional de ureia, DAP e KCl nos primeiros trimestres do ano, período no qual os agricultores norte-americanos tomam decisão de área plantada, e, posteriormente realizam o plantio de seus acres”, explica a Analista de Mercado da INTL FCStone, Gabriela Fontanari.
Tradicionalmente, os Estados Unidos realizam aplicações de fertilizantes em um maior número de etapas de desenvolvimento das culturas, quando comparado com outros países de tradição agrícola, como o Brasil.

 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink