Fórum Nacional Sucroenergético em Maringá
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,046 (0,55%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,69%)


Agronegócio

Fórum Nacional Sucroenergético em Maringá

Está confirmada a presença de dirigentes de entidades representativas do setor em 14 Estados que, juntos, totalizam 98% da produção nacional de etanol e açúcar
Por: -Silvano
380 acessos
Pela primeira vez desde que foi fundado em 2004, o Fórum Nacional Sucroenergético, integrado por entidades representativas de 14 Estados que, juntos, somam 98% da produção brasileira de etanol e açúcar, fará uma reunião ordinária no Paraná. O evento será na próxima quarta-feira, dia 22, a partir das 8h30, no Hotel Deville em Maringá.

Além de discutirem temas relacionados ao momento do setor, como a evolução da safra de cana-de-açúcar no Centro-Sul e no Nordeste do País, abastecimento e mercado externo, os participantes vão prestar uma homenagem ao ex-coordenador e um dos fundadores do Fórum, o paranaense Anísio Tormena, falecido em maio.

Entre os confirmados está o presidente da União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica), de São Paulo, Marcos Sawaya Jank.

Atualmente presidido pelo mineiro Luiz Custódio Cotta Martins, o Fórum reúne-se uma vez por mês em Brasília. Segundo o secretário executivo Pedro Luciano Oliveira, a atividade sucroenergética está presente em praticamente todos os Estados, “desde o Rio Grande do Sul ao Amazonas”. No entanto, só São Paulo detém metade da área cultivada com cana no Brasil - 4,4 milhões de hectares -, seguido de Minas Gerais (706 mil) e Paraná (613,7 mil). A safra brasileira do ciclo 2010/11, cujos números foram divulgados no início do mês, é prevista em 630 milhões de toneladas de cana, um recorde.

SAFRA

“O Fórum debate assuntos gerais de interesse do setor”, comentou o secretário executivo, citando como exemplo a possibilidade de uma quebra da safra em 2011, causada pela longa estiagem deste ano. “É um fator que vai impactar na atividade, dada a redução da oferta de cana e, consequentemente, de etanol e açúcar, em volumes que ainda não podem ser estimados”, disse.

Ele acrescentou que, atualmente, de 10 a 20% da produção total de etanol e 65% de açúcar seguem para o mercado externo. O Brasil é o maior produtor de cana e de açúcar e o segundo de etanol (só perdendo para os EUA).

Em Maringá, onde vai ser a reunião do Fórum, está sediado o grupo Santa Terezinha, um dos cinco maiores players brasileiros, com 8 unidades produtoras. Ao todo, o Paraná conta com 30 indústrias localizadas nas regiões norte e noroeste. A exemplo do que deve acontecer no restante do País, o tempo seco está fazendo com a safra de cana paranaense seja acelerada, com previsão de terminar em novembro. A Alcopar Associação dos Produtores de Bioenergia do Paraná, cuja sede fica em Maringá, calculava uma colheita ao redor de 50 milhões de toneladas neste ano, mas o volume, devido à seca, deve cair e impactar, também, na safra do ano que vem.

ENTIDADE INTEGRA O SETOR

Um dos objetivos do Fórum Nacional Sucroenergético é integrar o setor, conforme explica o superintendente da Alcopar, José Adriano da Silva Dias, que está entre os fundadores da entidade.

Dias explicou que a atividade canavieira está dividida, no País, entre as regiões Centro-Sul (onde a safra caminha para o seu final) e o Nordeste (que está iniciando a produção). “Como são situações muito diversas, o Fórum concilia essas realidades em torno dos mesmos objetivos”, pontuou.

Nos últimos anos, uma das principais conquistas do Fórum foi a melhoria das práticas de trabalho nas lavouras de cana, assegurando melhores condições aos cortadores.
 
As informações são da assessoria de imprensa do evento.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink