Frango do Sul chega mais perto do mercado europeu
CI
Agronegócio

Frango do Sul chega mais perto do mercado europeu

Frigoríficos adquiridos pelo grupo americano Tyson Foods vão adotar padrão de qualidade conhecido na União Européia
Por:

A aquisição de três indústrias de frango brasileiras pelo grupo norte-americano Tyson Foods, confirmada na última semana, deve abrir espaço para a carne brasileira no mercado mais exigente do mundo, a Europa. A empresa já atua no continente europeu e pretende adotar no Brasil padrão de qualidade internacional, segundo seus diretores. As exportações de frango do Paraná estão crescendo, por enquanto, com a ampliação dos embarques para a Ásia e o Oriente Médio.

“A gente tem que ganhar o direito de vender nossos produtos para o mundo inteiro”, disse o presidente da área internacional da Tyson Foods, Rick Greubel. Segundo ele, o grupo tem um setor que se preocupa só com o bem-estar animal.

O presidente da Tyson Foods no Brasil, o empresário catarinense Jóster Macedo, afirmou que a legislação brasileira estabelece critérios para o abate que fazem com que o frango industrial tenha tratamento tão “humanitário” quanto o frango orgânico. Os frigoríficos e criadores precisam se preocupar com a temperatura nos caminhões e o espaço disponível para cada ave nas caixas de transporte, por exemplo. Esse cuidado é sinônimo de rendimento: ajuda a reduzir a mortalidade e as manchas na carne provocadas por ferimentos.

O grupo Tyson comprou 70% da Frangobras, de Campo Mourão (PR), além da Macedo Agroindustrial, de São José (SC), e da Avícola Itaiópolis, ou Avita, de Itaiópolis (SC). Essas empresas têm capacidade de abate avaliada em 160 mil, 63 mil e 38 mil cabeças de aves por dia, respectivamente. A multinacional anunciou que está investindo R$ 200 milhões na ampliação da produção dessas empresas e que pretende usar os pontos fortes de cada uma delas para conquistar novos mercados.

O presidente da Frangobras, Edimar Arruda, disse que a empresa vai seguir os objetivos da Tyson Foods. O mercado externo torna-se cada vez mais importante para o frango do Paraná. O estado possui participação de cerca de 25% na produção e na exportação de aves do Brasil, disputando a liderança no setor com Santa Catarina. Tem apresentado crescimento que acompanha os índices nacionais. No primeiro semestre, o país exportou 2,2 milhões de toneladas, com aumento de 19,36% sobre o volume embarcado no mesmo período de 2007.

O investimento estrangeiro trará benefício às economias regionais, defendeu Arruda. Para o presidente da Avita, Sérgio Brandalise, “a economia e o setor social brasileiro vai ganhar muito com a entrada da Tyson no país”. A empresa é a maior processadora de carnes do mundo e, depois de estruturar melhor os três frigoríficos que adquiriu, avaliará ampliar seus negócios, que abrangem a produção de carne bovina.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.