Frango inteiro é o que mais afeta o resultado das exportações

Agronegócio

Frango inteiro é o que mais afeta o resultado das exportações

Recentemente os exportadores de carne de frango anunciaram que iriam reduzir a oferta externa de “grillers”
Por:
476 acessos

Recentemente, devido ao baixo retorno obtido, os exportadores de carne de frango anunciaram que iriam reduzir a oferta externa de “grillers”, frango inteiro pesando entre 2 a 4 libras (900 gramas a 1,8 kg). A promessa, parece, vem sendo cumprida. Pois, por exemplo, a forte queda observada nos embarques de outubro passado (redução anual de 5% e mensal de quase 20%) foi determinada, sobretudo, pelo frango inteiro.

É verdade que, no mês, os embarques de cortes de frango também apresentaram redução. Mas, aqui, a queda em relação ao mesmo mês do ano passado foi inferior a 1%, enquanto a do frango inteiro superou os 18%. E, como, paralelamente, seu preço médio ficou quase 8% abaixo do registrado um ano antes, a receita cambial do frango inteiro foi cerca de um quarto menor que de outubro de 2015.

Tais perdas se acumulam quando considerados os dez primeiros meses do ano, ainda que o volume de frango inteiro exportado seja superior ao do mesmo período de 2015. Mas, neste caso, o aumento não chega a 1%, enquanto os aumentos registrados pelos cortes, pelos industrializados e pela carne salgada chegam a, respectivamente, 7,34%, 8,18% e 5,92%.

No tocante ao preço, os quatro itens exportados permanecem com valores inferiores aos dos dez primeiros meses de 2015. Porém, novamente, é o frango inteiro que apresenta uma das maiores baixas (-10,36%), superado apenas pela carne de frango salgada (-12,46%).

Com tal desempenho e por corresponder a mais de 30% do total exportado, a redução de, praticamente, 10% na receita cambial do frango inteiro foi a que mais afetou os resultados das exportações de carne de frango até agora realizadas. 

Aliás, mantido o desempenho atual no bimestre final de 2016, a receita cambial somada dos cortes, da carne salgada e dos industrializados fecharia o exercício com ligeiro incremento em relação a 2015. Mas o desempenho do frango inteiro puxa o saldo para baixo, sinalizando resultado final negativo. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink