Frangos puxam crescimento no MT
CI
Agronegócio

Frangos puxam crescimento no MT

No 1º trimestre deste ano foram abatidas 59,849 milhões de aves no Estado
Por:
No 1º trimestre deste ano foram abatidas 59,849 milhões de aves no Estado

Influenciado pelo crescimento no consumo no mercado doméstico e internacional, as indústrias aumentaram o abate de frangos no 1º trimestre deste ano. Em Mato Grosso a alta foi de 21,4% no período, sendo abatidas 59,849 milhões de aves, ante 49,304 milhões nos 3 primeiros meses de 2011. Estado registrou o 3º maior crescimento no volume de abates de frango até março deste ano, superado pelo Piauí (62,5%) e Bahia (24,5%). Números foram divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Produção nacional foi liderada pelos estados do Sul, com o Paraná abatendo 371,360 milhões/cabeças, seguido por Santa Catarina (227,355 milhões/cabeças) e Rio Grande do Sul (203,630 milhões/cabeças).


Em todo país foram abatidas 1,363 bilhão de frangos, 4,3% a mais que em 2011, quando chegou a 1,307 milhão. Produção de ovos acompanhou o crescimento, evoluindo 27% em Mato Grosso e totalizando 40,372 milhões de dúzias nos 3 primeiros deste ano, contra 31,782 milhões de dúzias no mesmo período do ano passado. Incremento foi o 2º maior do país, atrás somente do estado do Rio de Janeiro (30,3%), com 1,525 bilhão de dúzias de ovos produzidas até março deste ano, ante 1,168 bilhão no 1º trimestre de 2011. Em todo país a produção aumentou 8,2% e totalizou 671,176 milhões de dúzias até março deste ano, contra 620,103 milhões no mesmo período do ano passado.

Suínos - Volume de abate de suínos também evoluiu nos 3 primeiros meses deste ano. Em Mato Grosso o incremento foi de 8,5% em comparação com igual período de 2011. Foram abatidos 515,227 mil animais até março deste ano, contra 474,732 mil em 2011. De acordo com o IBGE, o peso dos animais abatidos também aumentou. No acumulado, o peso das carcaças foi 10,9% maior no Estado, totalizando 53,065 mil toneladas em 2012, ante 47,862 mil em 2011. No país, foram abatidos 6,9% a mais de suínos que no ano passado, fechando o trimestre com 8,743 milhões de cabeças destinadas ao abate.


Para o diretor da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), Custódio Rodrigues, a alta nos abates pode ter sido puxada por animais trazidos de outros estados, além de um aumento no descarte de matrizes. Ele reforça que a crise enfrentada pelo setor tem afetados suinocultores e indústria, especialmente  aquelas de pequeno porte. “Há um ano e meio estamos buscando ajuda do governo porque não víamos uma situação como essa há 30 anos”.

Acrescenta que muitos produtores estão deixando a atividade no Estado. Proprietário do frigorífico Forteza, em Sinop, César Caneppele diz que a crise aumentou a oferta de animais. “Tem produtor vendendo todos os animais e por isso acho que a médio prazo vai faltar suíno no Estado”. Assim, ratifica, a tendência é que muitos frigoríficos pequenos que realizam o abate de suínos deixem o mercado.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink