Frigorífico no Nortão ameaça suspender atividades por falta de água

Agronegócio

Frigorífico no Nortão ameaça suspender atividades por falta de água

A escassez de chuva tem sido pontuada pelos criadores de gado mato-grossenses deste o fim de 2015
Por:
375 acessos

A escassez de chuva tem sido pontuada pelos criadores de gado mato-grossenses deste o fim de 2015

A JBS Friboi anunciou ontem que está na iminência de suspender as atividades da planta frigorífica de Colíder (252 quilômetros de Sinop) por falta de água. A empresa informou que a escassez de chuva na região do rio Carapá está comprometendo o nível de água nos reservatórios que abastecem a unidade. Em nota, a companhia pontua que está tomando providências para evitar que a produção na unidade seja interrompida, o que comprometeria o trabalho de 560 colaboradores e interromperia o abate diário de 600 cabeças de gado.

A escassez de chuva tem sido pontuada pelos criadores de gado mato-grossenses deste o fim de 2015. As irregularidades climáticas têm prejudicado a formação de pastos, como pontua o gerente de projetos da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Fábio da Silva. Ele explica que sem chuva não há formação de pasto, o que prejudica no equilíbrio de peso dos animais.

O gerente afirma que durante o período de seca, o criador precisa suplementar o gado com ração à base de milho ou farelo de soja. “Mas a escassez de chuvas também prejudicou as lavouras gerando a queda na produção, fazendo com que o preço ficasse elevado no mercado interno. Esta situação também reduziu as perspectivas de confinamento do rebanho mato-grossense, porque o custo para isso ficou impraticável”.

Os problemas gerados pela escassez de chuva vêm sendo anunciados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que em julho apontou que os produtores tenderiam a intensificar as negociações com os frigoríficos em agosto, já que as pastagens disponíveis davam sinais de exaustão. “Isso dificulta a manutenção do rebanho na área. Vale ressaltar que a suplementação se tornou mais cara este ano, desestimulando a engorda de bovinos com “consórcio” pasto e cocho.

Além disso, vê-se que nem mesmo o aumento na oferta de animais para o abate foi suficiente para alongar as escalas, assim como ocorreu em 2015, plantas frigoríficas relataram o encerramento de suas atividades. Dito isso, vislumbra-se um momento delicado, e com a intensificação da seca, o consumo interno em queda e as margens apertadas, o cenário que se forma é nebuloso, gerando desafios para toda a cadeia produtiva”, afirmam os técnicos do Imea.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink