Fruticultores esperam ter aumento na produtividade (RN)
CI
Agronegócio

Fruticultores esperam ter aumento na produtividade (RN)

Por:

O início da safra de frutas potiguares para exportação já começou a movimentar o Porto de Natal. No último fim de semana, 70 contêineres com estes produtos foram enviados para a Europa. E, mesmo considerando um ano difícil para o setor, o Comitê Executivo de Fitossanidade (Coex) – entidade que representa os fruticultores do estado – espera ampliar em 10% a produtividade. Somente a exportação de melão, de julho do ano passado a maio deste ano, atingiu 128 mil toneladas de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

O período de exportações de frutas sazonais iniciou-se há cerca de três semanas.. No caso do melão, que representa 70% da pauta de frutas do estado, a safra vai de agosto até março do ano seguinte. De acordo com o presidente do Coex, Francisco de Paula Segundo, este foi um “ano difícil”. Entre os problemas enfrentados estão o aumento do preço dos insumos e a oscilação do dólar. “Os custos foram lá para cima. Somente o adubo teve uma elevação de 200%. Se houver algum crescimento será com relação à produtividade. Estamos aumentando o número de frutas produzidas por hectare”, comenta.

Francisco Segundo declara que, no passado, foram exportadas 204 mil toneladas de frutas potiguares. O principal mercado consumidor do produto tem sido a Europa. As vendas para os Estados Unidos ficam limitadas para começarem no início de novembro.

Somente no ano passado, o melão exportado do Rio Grande do Norte rendeu mais de US$ 83,6 milhões (R$ 137 milhões) para o estado. O faturamento na safra de melão 2007-2008 foi 61,07% maior do que a safra 2005-2006.

Depois do melão, a castanha de caju ocupa o segundo lugar no total de 2007 (US$ 40,1 milhões). A banana (exportada durante todo o ano) é a terceira colocada com US$ 28 milhões exportados.

Movimento

Segundo informações da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), somente no final de semana passado, o navio Marfret Guyane movimentou no porto 131 contêinteres, sendo que 108 foram embarcados. No segmento de fruticultura, entre sábado de domingo, foram exportados 37 contêineres de melão, 13 de melancia, 12 de manga, quatro de mamão, quatro de banana e um de castanha de caju.

Os produtos exportados têm como destino os portos de Tilbury (Inglaterra), Rotterdam (Holanda), Le Havre (França), Algeciras (Espanha), Leixões (Portugal) e Marselhe (França).

Ressaltando que a safra de 2008 está apenas no início – o ápice é atingido nos meses de outubro e novembro – o diretor-presidente da Codern, Emerson Fernandes, explica ainda que esta é a primeira safra enviada somente em contêineres. No ano passado, uma parte das frutas ia em porões refrigerados de navios. A mudança ocorreu depois do início da atuação da empresa CMA CGM. Segundo ele, o Porto de Natal tem operado uma média de até 200 contêineres por semana. “Com a movimentação que estamos registrando nas últimas semanas e o número de contratos já fechados estimamos que haverá uma ampliação de 20% em relação ao ano passado”.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.