Fusão de Bayer com Monsanto ocorre suavemente, diz diretor

NEGÓCIOS

Fusão de Bayer com Monsanto ocorre suavemente, diz diretor

"Estamos começando a integrar de uma maneira que o nosso produtor tenha tempo"
Por: -Leonardo Gottems
1122 acessos

O diretor Comercial da Bayer no Brasil, Marcio Santos, afirmou durante a Feira Expodireto, realizada este mês no estado do Rio Grande do Sul, que a unificação da empresa com a Monsanto está correndo de forma “suave”. De acordo com ele, a empresa não está medindo esforços para integrar os portfólios. 

“Temos que entender a natureza da fusão entre Bayer e Monsanto, que são duas empresas extremamente complementares. Não existe uma sobreposição, e essa fusão foi feita com o objetivo de trazer mais solução, mais inovação. Estamos fazendo um processo de transição em fases, lento, com os times comerciais no campo sendo mantidos independentes por enquanto. Estamos começando a integrar de uma maneira que o nosso produtor tenha tempo, e a gente também tenha tempo, para entender a melhor maneira de fazer isso”, comenta. 

Ele indicou também que a complementação dos portfólios é um fator fundamental para essa unificação, já que nenhum produto sobrepõe outro já existente na Bayer. Isso, segundo o diretor, pode ser notado mais nitidamente no Brasil, onde os produtores rurais já estavam acostumados a fazerem negócios com as duas empresas simultaneamente. 

“Então isso continua com uma empresa combinada, com a capacidade que nós vamos ter de trazer mais investimento. Isso vai beneficiar muito o produtor brasileiro, porque ele lida com desafios que grande parte dos produtores mundiais não lida, que é um clima tropical, onde você tem vinte ciclos de uma praga no ano, trinta ciclos de uma doença no ano, reinfestação. Isso não acontece nas regiões frias onde se faz agricultura, na Europa, nos Estados Unidos, então a gente quer ajudar esse produtor a ser cada vez mais eficiente”, indica. 

Para finalizar, Santos falou também sobre a tecnologia Intacta 2 Xtend, que está prestes a ser aprovada na China. “Todo o sistema em que você permite o avanço de inovação ele é benéfico no final para a cadeia toda”, conclui. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink