Futuro da raça Crioula entra em pista no Freio Jovem

Agronegócio

Futuro da raça Crioula entra em pista no Freio Jovem

Crianças e adolescentes realizam competição similar ao Freio de Ouro
Por:
730 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Os futuros ginetes da raça Crioula entram em pista a partir da quinta-feira, dia 4 de setembro, para a disputa do Freio Jovem. A competição, adaptada do Freio de Ouro para crianças e adolescentes, é uma grande oportunidade para revelar nomes que, em alguns anos, devem estar nas pistas da principal competição organizada pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). 

Para o coordenador da Comissão Jovem da entidade, Manuel Gularte Sarmento, os participantes do Freio Jovem já dão mostras da qualidade que é a marca dos profissionais da área, que servem de inspiração para esta nova geração. "Cada ano que passa a gurizada está sempre melhor, mais bem preparada. Cada vez mais eles têm uma postura de ginete, executando os movimentos de profissionais", analisa. 

Sarmento informa que uma mudança foi feita no regulamento da prova neste ano. A categoria aspirante não existe mais e estes competidores foram realocados para o Freio do Proprietário. A categoria infantil reúne participantes até os 12 anos de idade e a juvenil vai dos 12 anos aos 18 anos. Outro destaque da programação da comissão será o concurso Jurado Jovem, realizado às 8h30min da quinta-feira, dia 4 de setembro. "As inscrições serão feitas na semana em Esteio mas acreditamos que teremos um número maior de inscritos. Temos vários interessados, só do Paraná deve vir uma grande turma que quer participar do concurso", afirma o coordenador da comissão.

Este ano serão 91 competidores em pista nas duas categorias, tanto masculino quanto feminino. O Freio Jovem é inspirado no Freio de Ouro e possui regulamento muito semelhante a maior competição de seleção da raça crioula. A diferença é que é direcionadaso a crianças, adolescentes e aspirantes a ginetes de ambos os sexos e não utilizam novilhos nas provas de campo devido aos riscos. Por isso, no lugar da paleteada foram criadas provas sem gado em que é avaliada a movimentação do ginete e do cavalo.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink