Agronegócio

Geada afeta a produção de frutas na Serra Catarinense

Plantações de maçã, pêssego e uva sofreram quebras com a onda de frio
Por: -Pablo Gomes
2 acessos

A geada que atrai os turistas prejudica os produtores. Em São Joaquim, Serra Catarinense, bastaram três dias seguidos do fenômeno fora de época para produtores rurais registrarem perdas, principalmente na maçã e na batata.

Plantações de uva, pêssego e pêra também foram afetadas. É certo que os prejuízos foram isolados, não comprometem a produção geral do município, mas preocupam quem foi atingido. Douglas Zappelini, de 40 anos, cultiva maçã em 55 hectares (550 mil metros quadrados), divididos em dois pomares, nas localidades de Morro Agudo e Corujas.

No de Morro Agudo, onde a altitude é maior, a maioria da produção, 30 hectares, não foi afetada. Já em Corujas, foram perdidos cerca de 40% dos 25 hectares, onde são produzidas mil toneladas. Os 60% restantes, acredita Douglas, perderão qualidade, já que a fruta queima e fica deformada.

Nessa sexta-feira (10-11), conforme a Epagri/Inmet, a temperatura mínima de Santa Catarina de 1,2ºC, foi registrada novamente em São Joaquim. Responsável por cerca de 90% da riqueza do município, com 150 mil toneladas por ano em 3,8 mil hectares, a maçã aguenta geada até o início de setembro, quando a planta ainda está só na madeira.

Agora, por exemplo, o fruto já está formado, e precisa apenas desenvolver-se para ser colhido entre fevereiro e março. Segundo o secretário da Agricultura de São Joaquim, Flares Fabre Melo, há 10 anos a batata-semente certificada representava 50% da riqueza do município.

Terra precisa de 10 anos para ser recuperada

Flares explica que, para o plantio de batata, uma terra nova dura três anos. Depois disso, são necessários 10 anos para que a terra volte a estar própria para este cultivo.

Por ser esporádico, não há uma estimativa de quanto é cultivado no município. Sabe-se que as chances de recuperação são maiores, já que com até 30 dias a batata pode rebrotar. Com cerca de 50 dias já fica mais difícil de prever.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink