Geadas afetam plantação de milho e preocupam produtores em MS

Agronegócio

Geadas afetam plantação de milho e preocupam produtores em MS

A safrinha de milho poderá sofrer perdas de até 10%
Por:
4513 acessos
Castigada pela estiagem, a safrinha de milho poderá sofrer perdas de até 10% por conta das geadas registradas esta madrugada em vários municípios na região sul do Estado. O fenômeno já era previsto pela meteorologia e afetou com mais intensidade as cidades de Dourados, Ponta Porã, Amambai, Paranhos e Tacuru, onde houve registro de temperaturas negativas.


Em Dourados foram plantados 94 mil hectares de milho safrinha. Deste montante cerca de 45 mil foram fora da época recomendada para o plantio, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Estas são as lavouras que mais preocupam na avaliação da assistência técnica, já que ficaram mais tempo expostas à estiagem que ocorreu por todo o mês de maio e início de junho deste ano. Por conta da seca, a estimativa é de que haja, pelo menos, 10% de perdas nas lavouras.

Em Dourados, a intensidade da geada teve variações conforme a região do município, mas oscilou entre moderada e forte. A mínima registrada foi de 0,7ºC, considerada a temperatura mais baixa do ano. Às 7h, fazia 1,7ºC, conforme a estação meteorológica da Embrapa Agropecuária Oeste. Segundo especialistas, ainda não é possível medir o impacto da geada, mas o clima gera preocupação, especialmente pela previsão de nova geada na madrugada desta terça-feira.


De acordo com o pesquisador da Embrapa, Ricardo Sietz, ainda não é possível verificar com muita clareza qual a intensidade da geada em Dourados. Segundo ele, o fenômeno teve formações diferentes, conforme a região do município. “Tivemos condições muito favoráveis para geada de média intensidade, como céu limpo, ausência de ventos e temperatura baixa”, explicou. Segundo ele, além de clima propício, a intensidade da geada depende de vários fatores, como topografia – já que regiões mais baixas estão mais propensas ao fenômeno.

Além de Dourados, a geada atingiu também outros municípios como Ponta Porã, Amambai, Aral Moreira, Paranhos e Tacuru. Em alguns municípios, a temperatura chegou a 1ºC negativo. Em Rio Brilhante, os termômetros marcaram 0,6ºC negativos.

O engenheiro agrônomo e consultor Ângelo Ximenes explica que o impacto da geada desta segunda-feira só poderá ser avaliado no final de semana, já que há previsão de chuva intensa amanhã e quinta-feira. Para hoje, a meteorologia indica o risco de nova geada – que, se confirmada, terá impacto mais severo na produção. “Se gear novamente, o impacto será mais intenso porque a planta já estará debilitada”, disse ele. Segundo o especialistas, a geada provavelmente já provocou perdas na produção, mas o impacto ainda não foi significativo.


Também há preocupação com as pastagens, que sofrem com o impacto das geadas. Com a ausência de pasto, há prejuízos na produção de carne e leite. A produção também fica mais cara, já que o pecuarista é obrigado a investir em nutrição animal.

(com informações do Dourados Agora e Diário MS)

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink