Geração de empregos na agropecuária cresce 37,2% em MS

Agronegócio

Geração de empregos na agropecuária cresce 37,2% em MS

O setor respondeu sozinho por 56,3% do total de 17.159 vagas abertas em todas as atividades econômicas no Estado
Por:
2 acessos

A atividade agropecuária ampliou em 37,2% a geração de empregos formais no primeiro semestre deste ano em Mato Grosso do Sul, na comparação com igual período de 2006. De janeiro/07 a junho/07, o setor respondeu sozinho por 56,3% do total de 17.159 vagas abertas em todas as atividades econômicas no Estado.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a junho deste ano o setor acrescentou 9.665 vagas com carteira assinada (celetistas) ao mercado de trabalho do Estado, enquanto que nos seis primeiros meses do ano passado o saldo foi de 7.043 novas vagas.

Neste ano, até junho, 20.914 funcionários com carteira assinada foram demitidos das atividades agropecuárias desenvolvidas no Estado, mas o setor admitiu 30.579 trabalhadores celetistas, resultando em saldo de 9.665 vagas acrescentadas ao mercado de trabalho. Em igual período do ano passado, as demissões haviam sido de 14.833 trabalhadores e as contratações atingiram 21.876 pessoas.

O segundo setor que mais acrescentou vagas ao mercado formal de trabalho em MS, no acumulado de janeiro a junho, foi a indústria de transformação, com saldo de 4.695 postos de trabalho com carteira assinada abertos no Estado – sendo que 19.987 trabalhadores foram admitidos e 15.292 foram demitidos.

O subsetor responsável pelo bom desempenho na geração de empregos da indústria de transformação foi a produção de alimentos e bebidas, que abriu 3.285 novas vagas no primeiro semestre, seguido pelo vestuário, com 604 postos de trabalho acrescentados em MS. Os subsetores de madeira e mobiliário (202 novas vagas); químico, farmacêutico e veterinário (113 vagas); e papelão, papelaria e editoração (100 vagas) também registram ritmo positivo na geração de empregos.

As atividades que compõem o setor de serviços em MS foram o terceiro maior setor em incorporação de vagas ao mercado formal de trabalho no primeiro semestre deste ano. De janeiro a junho, o setor registrou saldo de 2.538 novos postos de trabalho, resultado das 24.237 admissões e 21.699 demissões.

O setor do comércio somou 1.028 vagas ao mercado de trabalho estadual, com 19.726 contratações e 18.698 demissões.

Foram destaques em saldo negativo na geração de empregos em MS, no acumulado do primeiro semestre deste ano, a administração pública, que eliminou 623 trabalhadores com carteira assinada; e a construção civil, que fechou 156 postos de trabalho no período no Estado.

A geração de empregos formais cresceu 41,5% no primeiro semestre deste ano, em MS, na comparação com igual período do ano passado. De janeiro a junho deste ano, foram acrescentados 17.159 novos postos ao mercado formal de trabalho no Estado, sendo que o saldo havia sido de 12.123 novos postos criados no primeiro semestre de 2006. De acordo com o Caged, no primeiro semestre deste ano, 102.336 pessoas foram contratadas com carteira assinada em MS, enquanto outros 85.177 trabalhadores do mercado formal foram demitidos no período.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink