Gestão das propriedades rurais é o foco do Programa Propriedade Sustentável

Agronegócio

Gestão das propriedades rurais é o foco do Programa Propriedade Sustentável

Programa Propriedade Sustentável apresenta ferramentas de gestão para produtores de fumo de Santa Catarina.
Por:
387 acessos

Programa Propriedade Sustentável apresenta ferramentas de gestão para produtores de fumo de Santa Catarina. A parceria entre a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e a Souza Cruz atenderá 80 fumicultores catarinenses, que poderão aprimorar a gestão em suas propriedades, principalmente no controle de despesas e receitas. A intenção é de que as informações auxiliem não só na melhoria do processo produtivo dos beneficiários, mas também sejam indicadores de boas práticas para as outras 190 mil propriedades rurais de Santa Catarina.
 
O Programa Propriedade Sustentável oferece aos fumicultores um software, desenvolvido pela Epagri, para a contabilidade e gestão da propriedade rural. Com base nesses dados e nas percepções dos agricultores sobre o ambiente, será construída uma rede de referências que pode auxiliar outras propriedades, de diferentes culturas. O secretário da Agricultura, Moacir Sopelsa, explica que o Programa possibilita conhecer a realidade agrícola do estado e pode orientar os produtores e o poder público a tomarem decisões mais acertadas para melhorar a renda e a competitividade da agricultura familiar de Santa Catarina.  “A atividade agrícola deve ser organizada, como é uma empresa, e a gestão é uma ferramenta importante nesse processo”, afirma.
 
O Programa está em execução desde 2007 em Santa Catarina e, segundo o Diretor de Tabaco da Souza Cruz para as Américas, Dimar Frozza, diminuiu o nível de endividamento dos produtores e erradicou o uso de mão de obra infantil.  “O Programa cai como uma luva no tipo de produção que temos no sul do país. Se a economia da propriedade vai bem, o produtor pode continuar no campo e ter sucesso”, destaca.
 
“O Programa dá uma oportunidade para o produtor avaliar os rumos da produção”, é assim que o fumicultor Adriano da Cunha avalia os impactos do Propriedade Sustentável. Adriano é um dos 80 produtores catarinenses que já foram atendidos pelo Programa e hoje diversifica sua produção entre fumo, leite e olericultura. “Os números nos ajudam a tomar boas decisões, nos dão uma visão minuciosa de toda a produção e nós conseguimos pensar no futuro de nossa propriedade”.
 
O Programa é válido pelos próximos cinco anos e terá abrangência também para o Rio Grande do Sul e Paraná. Ao todo serão 240 propriedades rurais acompanhadas em todo o sul do país. A execução do Programa  em Santa Catarina conta com a participação da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag) e Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep).
 
Fumicultura

A Região Sul é responsável por 98% da produção brasileira de tabaco, sendo Santa Catarina o segundo maior produtor do país. Nos três estados do Sul, a produção de fumo é realizada em regime de integração com a indústria e, assim, o plantio se dá de acordo com as necessidades internas e de exportação. Segundo dados do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), em Santa Catarina são 47 mil fumicultores, com 120 mil hectares plantados, responsáveis pela produção de 258,2 mil toneladas em 2014.  As exportações chegaram a 75 mil toneladas, um rendimento de US$ 386 milhões.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink