Gigante do agro faz aquisição para avançar em biológicos
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
TRANSAÇÃO

Gigante do agro faz aquisição para avançar em biológicos

A transação envolve a transferência de 100% da propriedade e ativos
Por: -Eliza Maliszewski

Uma notícia sacode o mundo do agronegócio nesta terça-feira (6). A multinacional suiça Syngenta anunciou a compra da italiana de biológicos Valagro. O objetivo principal é investir em soluções de base biológica para o mercado brasileiro, onde este tipo de mercado cresce bem acima da média mundial. Enquanto globalmente o mercado evolui cerca de 15%, em terras brasileiras chega aos 40%.

A transação envolve a transferência de 100% da propriedade e ativos da italiana para a Syngenta Crop Protection (Proteção de Cultivos). Os termos financeiros da transação não são divulgados. A Valagro é uma empresa de 40 anos de existência e considerada pioneira na pesquisa, produção e comercialização de bioestimulantes e nutrientes especiais para lavouras, com distribuição em 80 países e uma fábrica no Brasil localizada em Pirassununga (SP) onde produz bioestimulantes e fertilizantes hidrosolúveis. No ano passado registrou receita de US$ 175 milhões.

A fusão é considerada estratégica para a expansão das tecnologias biológicas e o avanço nesse mercado, especialmente bioestimulantes de plantas, biocontrole e biofertilizantes. “Fornecemos à empresa recursos consideráveis que podem nos ajudar a avançar em nossos esforços para desenvolver produtos ambientalmente compatíveis, seguros e eficazes para nossos clientes em todo o mundo”, disse Giuseppe Natale, CEO da Valagro.

São esperados investimentos significativos. “Juntos moldaremos o futuro do mercado de produtos biológicos agrícolas”, destacou Jon Parr, presidente Global Crop Protection da Syngenta. 

O mercado mundial de biológicos gira em torno de US$ 4 bilhões, mas deve chegar a US$ 10 bilhões até 2023. Segundo o head global de biológicos da Syngenta, Corey Huck, o segmento de biológicos ainda é fragmentado e a empresa vê a oportunidade de investir em ciência e criar um novo portfólio. “Durante esse período de tempo (até 2023), queremos nos tornar os líderes de mercado”, afirmou.

A transação envolve 30 produtos entre as empresas. No ano passado o mercado de produtos biológicos cresceu 77% no Brasil. O país corresponde a 2% do faturamento total do mercado para a proteção de plantas. Neste ano o Ministério da Agricultura já registrou 60 produtos de baixo impacto. Esse é o maior número de registros de produtos desse perfil em um mesmo ano.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink