Agronegócio

Goiás bate recorde na vacinação contra a febre aftosa

Neste ano, 99,82% do rebanho goiano foi vacinado. Este é o maior índice já alcançado até hoje
Por:
223 acessos

O relatório da primeira etapa da campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa foi concluído no último mês e Goiás conquista, mais uma vez, o maior índice de vacinação de todas as etapas realizadas até hoje. Durante o mês de maio, período da vacinação, 99,82% do rebanho goiano de bovinos e bubalinos foi vacinado. Com o fim da primeira etapa, o relatório de atividades da campanha já foi enviado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O presidente da Agrodefesa, Arthur Toledo comemora a boa atuação da entidade. “Temos ótimos motivos para festejar. Conquistar o maior índice de vacinação só prova que o Fiscal Estadual Agropecuário cumpriu com grandeza sua missão de contribuir com a proteção dos rebanhos de Goiás”, diz. O presidente lembra que o trabalho todo começa com a grande equipe de coordenação, que vai desde o diretor técnico, o gerente de saúde animal, coordenadora da área, supervisores regionais, fiscais estaduais agropecuários somados ao trabalho dos Agentes de Fiscalização e servidores administrativos, em todas as unidades da Agrodefesa, que está presente em todo o Estado. “É uma turma que faz um trabalho justo e necessário para Goiás. O resultado da campanha só confirma que a defesa sanitária no Estado entrega o que a sociedade espera dela”, enfatiza Arthur.

Primeiro do ranking

Segundo o gerente de Sanidade Animal, Antonio Leal, nos últimos seis anos, Goiás se manteve entre os Estados com maior índice de vacinação de bovinos e bubalinos. “Sempre ocupamos as primeiras posições no ranking brasileiro de vacinação contra aftosa. Neste ano de 2016, seguindo a estratégia de vacinação de todos os bovinos e bubalinos na etapa maio e de animais de até 24 meses na etapa novembro, conforme preconizado pelo Mapa, ocupamos a primeira colocação, dentre os Estados que já enviaram o relatório da etapa maio/2016 ao Mapa, até o momento. Para nós é uma conquista fantástica, se levado em conta que nosso rebanho ultrapassa os 22 milhões de cabeças”, esclarece Antônio.

Para o presidente do órgão, a Agrodefesa mantém de forma objetiva o papel de preservar a saúde financeira do Estado e garantir aos goianos alimentos de excelência. “Queremos oferecer ao mercado goiano, brasileiro e mundial uma carne de primeira qualidade. Isso é fundamental para a nossa população e para a economia do Estado e do país”, diz Artur.

O apoio do governo estadual, segundo o presidente, tem sido o diferencial para consolidar as ações da Agrodefesa. “O governador Marconi Perillo e o vice-governador José Eliton têm dado todo respaldo para a Agrodefesa realizar um trabalho significativo para a sociedade”, diz. Arthur destaca também, o nível de consciência dos produtores rurais, que conhecem a importância e atuam de forma a manter em Goiás, o status sanitário de Zona Livre de Aftosa com vacinação pela OIE, conquistado há 16 anos, o que permite exportar carne bovina goiana.

A Agrodefesa lembra que aqueles pecuaristas que vacinaram, mas não entregaram a declaração de vacinação serão autuados e pagarão uma multa de R$ 60,00 por propriedade. Já os que realmente ficaram sem vacinar o rebanho, devem pagar uma multa no valor de R$ 7,00 por cabeça. Estes, devem procurar a Unidade Local da Agrodefesa de seu respectivo município, sendo que, após lavrado o auto de infração, o produtor agendará com o servidor a data da vacinação, a qual será assistida pela Agrodefesa, e receberá a autorização para compra da vacinas. Caso o criador seja reincidente, a multa é fixada em R$ 120,00 por não declaração da vacinação e paga-se por cabeça o valor de R$ 14,00 por não vacinação.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink