Governador/PR autoriza ampliação de porto seco no terminal da Ferroeste
CI
Agronegócio

Governador/PR autoriza ampliação de porto seco no terminal da Ferroeste

Os produtores paraguaios vão utilizar a ferrovia para exportar soja, milho e trigo, inclusive para o mercado interno brasileiro, além de importar insumos agrícolas como adubos, fertilizantes e calcário
Por:
O governador Orlando Pessuti assina, nesta quinta-feira (5), a ordem de serviço para a reconstrução e ampliação do porto seco instalado no terminal da Ferroeste, em Cascavel. O porto atende as necessidades de desembaraço aduaneiro na região e, com as obras, terá ampliada a infraestrutura de transbordo de grãos para atender produtores, agroindústrias e cooperativas, inclusive do Paraguai. A solenidade será às 14h30, na Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic).

Os produtores paraguaios vão utilizar a ferrovia para exportar soja, milho e trigo, inclusive para o mercado interno brasileiro, além de importar insumos agrícolas como adubos, fertilizantes e calcário. Atualmente, o Paraguai utiliza os portos de Nova Palmeira, no Uruguai, e de Rosário, na Argentina.

De acordo com o presidente da Ferroeste, Neuroci Antonio Frizzo, um grupo de cooperativa e exportadores paraguaios está investindo R$ 2,3 milhões na infraestrutura do porto seco. O grupo é formado pela Central Nacional de Cooperativas do Paraguai (Unicoop) e pelas empresas Agro Silos El Produtor, Companhia Dekalpar e Trebol Agrícola, responsáveis por 60% da produção de soja do país vizinho.

“Os paraguaios entram como os principais colaboradores e usuários do porto seco”, disse diretor técnico-operacional da Codapar, Davi Pinezi. O grupo deve começar a operar ainda este ano com a importação de fertilizantes. A partir da safra de 2011, a previsão é de movimentar 200 mil toneladas de grãos com destino ao Porto de Paranaguá, podendo chegar a 400 mil toneladas por ano, em 2012.

O projeto envolve a Ferroeste, Codapar, Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), Ministério da Agricultura, Claspar (Empresa Paranaense de Classificação de Produtos), Receita Federal e o grupo de investidores paraguaios, além de todos os usuários que necessitem de desembaraço aduaneiro.

Pela manhã, às 10 horas, acontecerá uma reunião no terminal da Ferroeste, seguida de visita técnica ao porto seco, que é administrado pela Codapar (Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná).

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.