Governo apoia produção de cafés especiais no Norte Pioneiro
CI
Imagem: Marcel Oliveira
AGRICULTURA

Governo apoia produção de cafés especiais no Norte Pioneiro

O evento é realizado de forma virtual, além do café, há destaque para a fruticultura e avicultura
Por:

O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, disse nesta terça-feira (20), durante a abertura da 13.ª Feira Internacional de Cafés Especiais do Norte Pioneiro (Ficafé), que o Governo quer estar cada vez mais presente e contribuindo no esforço para a valorização da produção da região. Este ano, em que o evento é realizado de forma virtual, além do café, há destaque para a fruticultura e avicultura.

“O governador sempre nos desafia a sermos mais criativo, mais assertivos, mais presentes na construção de uma densidade maior na economia do Norte Pioneiro a partir do agro, a partir do rural”, disse. “Por isso, nos somamos aos que participam do esforço de valorização da cafeicultura, da fruticultura, da horticultura, dos grãos, do frango e de outras atividades importantes, capazes de oferecer oportunidades melhores.”

Ele lembrou que, após as geadas de 75, 78 e 82, houve redução de grandes propriedades cafeeiras, que no auge chegaram a cerca de 1,8 milhão de hectares. O governo, então, passou a disseminar o adensamento como um modelo para aumentar a renda em pequenas propriedades e garantir melhor qualidade ao produto. “O que importa no café é a bebida, que deve ser produzida e tratada com carinho”, salientou.

IDENTIFICAÇÃO GEOGRÁFICA - O café especial do Norte Pioneiro tem Identificação Geográfica (IG) e é reconhecido mundialmente pela qualidade. No território, há cerca de 32 mil propriedades, das quais 30 mil são pequenas. A região também produz goiaba com Identificação Geográfica e exportação para vários países, e está em florescimento a cultura do morango, que também pleiteia a identificação.

A expectativa é que, este ano, o Paraná produza em torno de 943 mil sacas de 60 quilos de café em pouco mais de 35,5 mil hectares. “Perdemos de 10% a 15% com a estiagem, mas, por não ter chuva na colheita, conseguimos uma bebida diferenciada, possivelmente uma ótima bebida, com preços um pouco melhor”, afirmou Ortigara.

FÓRMULA VENCEDORA - O presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná), Natalino Avance de Souza, falou sobre a importância do café para a economia e para a formação de instituições públicas no Estado. “O café está intimamente ligado ao DNA do Paraná”, afirmou. “O IDR-Paraná está intimamente ligado ao café e queremos continuar intimamente ligado ao café”.

Para ele, a fórmula empregada no Norte Pioneiro, de agregação de valor, qualidade e eficiência na comercialização é vencedora. “É importante reconhecer esse movimento de resiliência do Norte Pioneiro, é importante reconhecer esse esforço de produzir o melhor café do Brasil, é importante reconhecer essa parceria que faz a diferença”, disse. “Isso faz o café do Paraná, do Norte Pioneiro, ser conhecido, ser lembrado no Brasil inteiro e em outras partes do mundo”.

A Ficafé segue até esta quinta-feira (22), com palestras e cursos em três salas de transmissão destinadas ao café, fruticultura e aves; rodadas de negócios; exposições de máquinas, equipamentos e insumos; leilões e o concurso de cafés especiais da região.

Toda a programação é transmitida pelo aplicativo da feira, que pode ser baixado gratuitamente.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink