Governo avança na discussão para destinar excesso de arroz

Agronegócio

Governo avança na discussão para destinar excesso de arroz

O rizicultor do RS está vendendo a saca de 50 quilos
Por:
1548 acessos
Brasília - Um grupo de trabalho criado pelos governos federal e estadual e iniciativa privada, para discutir a situação da cadeia produtiva de arroz no Rio Grande do Sul, que recebe valores abaixo do preço mínimo de referência, se reunirá na próxima semana para aprofundar as discussões sobre a destinação de excedente do cereal para ração animal. Segundo o secretário adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, o governo estadual também está discutindo o assunto e estudando inclusive a alteração da cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), para viabilizar essa opção.


“Acho que vamos conseguir reverter essa situação”, afirmou Bittencourt. Atualmente, o rizicultor está vendendo a saca de 50 quilos de arroz no Rio Grande do Sul por cerca de R$ 19, enquanto o preço mínimo estabelecido pelo governo é R$ 25,80. Por isso, terça-feira (28) foram anunciadas novas medidas para “enxugar” o excedente do produto.


O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Carlos Vaz, disse que o Instituto Riograndense do Arroz (Irga) ficou de apresentar, ainda nesta quinta-feira (30), uma planilha detalhada sobre a viabilidade econômica da operação. Ele adiantou, no entanto, que pelos dados já analisados, ela é possível e deve ocorrer.


A intenção é usar o excesso de arroz produzido no Rio Grande do Sul, responsável por 60% da produção nacional, para abastecer a produção de aves e suínos, que estariam com dificuldade de suprimento de milho. “É muito boa a ideia de ter um movimento de leilão que atenda a duas cadeias produtivas”, disse Vaz. O secretário acredita que em até duas semanas a questão estará resolvida.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink