Governo busca retomar navegação pelo Porto de Cáceres e cria programa de incentivo para o modal

Agronegócio

Governo busca retomar navegação pelo Porto de Cáceres e cria programa de incentivo para o modal

O evento contou com a presença do ministro das Relações Exteriores que afirmou haver a possibilidade de investimentos virem por parte do Governo Federal
Por:
484 acessos

O Governo de Mato Grosso busca retomar a navegação como forma de escoamento da produção do Estado por meio do Porto de Cáceres e cria o “Navegue MT” para incentivar o modal. Um Termo de Cooperação Técnica foi assinado entre o Governo de Mato Grosso e a Associação Pró-Hidrovia Paraguai-Paraná (APH) para a realização de estudos de viabilidade da reativação do porto. O evento contou com a presença do ministro das Relações Exteriores, José Serra, que afirmou haver a possibilidade de investimentos virem por parte do Governo Federal.

Com a reativação do Porto de Cáceres será possível intensificar o desenvolvimento das regiões Sudoeste e Oeste de Mato Grosso. O Termo de Cooperação visa, além da realização de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental do modal, a elaboração do Plano de Investimento para a retomada da operação.

A reativação do Porto de Cáceres é considerada essencial pelo Governo de Mato Grosso para a integração comercial com a América do Sul pela Hidrovia Paraguai-Paraná e o fortalecimento da logística dos produtos da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), que deverá sair do papel ainda nesta semana, após mais de 20 anos de espera.

“O que falta em Mato Grosso é logística de transporte. Em 06 de março de 1990 o presidente Sarney assinou a criação da ZPE de Cáceres e nós a estamos tirando do papel e diante disso precisamos de logística”, observou o governador Pedro Taques durante a assinatura do Termo de Cooperação na noite desta segunda-feira, 14 de novembro. 

Ainda de acordo com Taques, é preciso fazer um estudo para saber o que pode ser transportado pelo Porto de Cáceres e a qualidade, no caso da embarcação.

Taques ainda solicitou apoio do ministro José Serra, que afirmou para o chefe do Executivo mato-grossense já haver estudos para a navegação na Hidrovia Paraguai-Paraná e que poderá estender até Mato Grosso. “O Governo Federal já trabalha para a navegação. Não se investe em nada no Brasil neste modal que é o mais barato. Mato Grosso tem a particularidade de que a parte menos navegável no rio Paraguai-Paraná está em Cáceres e o Governo Federal terá de investir aqui no Estado”, declarou Serra.

O ministro das Relações Exteriores observou que a hidrovia não irá beneficiar Mato Grosso apenas com as relações comerciais com o exterior, mas também com Estados brasileiros, como é o caso de Santa Catarina para o envio de grão, mais precisamente o milho, para atividades de suinocultura e avicultura que são muito fortes naquele estado.

A retomada da navegação via rio Paraguai-Paraná é discutida há cerca de seis anos pela Associação Pró-Hidrovia Paraguai-Paraná (APH), que tem à sua frente o produtor de Tangará da Serra, Vanderlei Reck Júnior. Segundo o presidente da Associação, a iniciativa partiu por parte dos produtores mato-grossenses. “Mato Grosso se transformou em um grande estado produtor de matéria-prima e estamos muito eficientes da porteira para dentro. Mas, temos um grande desafio da porteira para fora que é a logística e pela nossa região, que é a mais próxima da hidrovia e de Cáceres, surgiu à ideia de um grupo de produtores de começarmos a fomentar novamente a navegação”. 

Conforme o prefeito de Cáceres, Francis Maris, a Hidrovia Paraguai-Paraná é de suma importância para o desenvolvimento do Estado, pois a logística que há hoje e com o custo do frete do transporte é muito oneroso para o próprio Estado e para os produtores. “Com a hidrovia em funcionamento nós esperamos que esse custo com a logística seja quatro ou cinco vezes menor que o transporte por caminhões e com isso faça com que os nosso produtores seja mais competitivos. Isso vem concomitantemente trazer o desenvolvimento para o Estado”.

Navegue MT

Conforme o vice-governador Carlos Fávaro e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ricardo Tomczyk, uma minuta foi elaborada para a criação de um programa de incentivos para a atração de empresas interessadas em realizar a navegação pela Hidrovia Paraguai-Paraná. O programa é chamado de “Navegue MT” e seguirá os moldes do “Voe MT”.

A minuta deverá seguir em breve para apreciação do governador Pedro Taques e aprovação da Assembleia Legislativa.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink