Governo federal vai incentivar produção de trigo no Mato Grosso
CI
Agronegócio

Governo federal vai incentivar produção de trigo no Mato Grosso

Por:

A partir de hoje a triticultura do Mato Grosso passa a ter acesso a recursos do governo federal. O secretário Nacional de Política Agrícola, Ivan Wedekin e o coordenador de Zoneamento Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Luiz Antônio Rossett, anunciou ontem, durante o I Seminário de Trigo de Mato Grosso, que o Estado está incluído na política de zoneamento agrícola para a cultura e com isso terá incentivos já para a safra de 2004.

Para o engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Hortêncio Paro, o seminário teve um excelente resultado porque serviu para a inclusão, no zoneamento agrícola, de produtores que serão responsáveis pela expansão de mais de 300% na área de plantio da triticultura estadual e também para a eliminação de alguns entraves na cultura,

Paro acredita que a área cultivada passará dos atuais 1,5 mil hectares para cerca de 5 mil ha. "De acordo com o zoneamento, temos ainda mais 600 mil há para serem transformados em lavouras do cereal", destaca Paro.

Na programação do seminário foi aberto espaço para a elaboração de um protocolo de intenções entre produtores, governo e moinhos, para a busca de soluções para os gargalos da cultura. "Nossa meta é trazer resultados, os problemas que existem todos nós sabemos e entendemos que a solução tem de vir do próprio setor", justifica Paro.

Entre os principais pontos do protocolo está o incentivo à pesquisa, a criação de uma Câmara Setorial do Trigo, no Conselho de Desenvolvimento Agrícola da Secretaria de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Seder), ainda via Seder, a realização de treinamento de produtores e técnicos, elaboração de diretrizes para o trigo, monitoramento das lavouras estaduais e busca de incentivos fiscais para a cultura, tanto em parceria com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), quanto da Secretaria de Indústria, Comércio, Mineração e Energia de Mato Grosso (Sicme).

"Precisamos firmar um programa de fomento, que pode ser o "Pró-trigo", ter incentivos semelhantes ao de outras culturas como a soja e o algodão, para termos condições de incrementar a produção", argumenta Paro.

Com o zoneamento agrícola, a Delegacia Federal de Agricultura de Mato Grosso (DFA) poderá traçar normas técnicas para a produção de sementes no Estado e com isso a triticultura terá materiais adaptados a região com volume e produtividade que darão sustentabilidade à cultura.

Atualmente, a triticultura ocupa áreas em Jaciara, Dom Aquino, Campo Verde, Primavera do Leste, Alto Taquari, Alto Garças, Pedra Preta e Chapada dos Guimarães.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink