Governo não tem orçamento para combater a gripe aviária

Agronegócio

Governo não tem orçamento para combater a gripe aviária

Para 2007 o governo ainda não estimou os valores a serem gastos no combate
Por: -Neila Baldi
2 acessos

Apesar de o Brasil exportar US$ 3 bilhões em carnes de frangos, o governo brasileiro não tem recursos para o combate à gripe aviária. Até o momento, foram aplicados apenas R$ 16 milhões - de R$ 40 milhões previstos - e para 2007 ainda não estão estimados os valores a serem gastos no Plano Nacional de Prevenção da Influenza Aviária e de Controle da Doença de Newcastle. O programa não faz parte do orçamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - que tem previstos para 2007 R$ 194,9 milhões para a defesa agropecuária. Trata-se de uma "ação emergencial", ou seja, que depende de verbas extraordinárias a serem negociadas ano a ano - quando lançado, em abril, o plano previa R$ 280 milhões em 36 meses.

Mesmo sem a detecção da doença no Brasil, o País teve prejuízos por conta da "crise" provocada pela aparição do vírus na Europa. Com isso, estima-se que o volume exportado de frangos em 2006 seja 8% inferior ao embarcado no ano passado. Preocupados com o problema, representantes do setor estiveram com o secretário de Defesa Agropecuária do ministério, Gabriel Alves Maciel, pedindo a liberação dos recursos.

"Estamos em processo de aplicação desta verba", diz Maciel. Ele espera que até o dia 15 de dezembro estejam assinados os convênios com os estados para o repasse dos valores. "Mas a aplicação depende da capacidade operacional de cada estado", adverte. Até o momento, apenas Santa Catarina firmou acordo com o governo federal. O secretário diz, no entanto, que o setor não ficou "desassistido", uma vez que foram investidos R$ 5,4 milhões, via Programa Nacional de Sanidade das Aves. Ele argumenta que o combate à gripe aviária é uma ação emergencial e, por isso, não tem "rubrica" no orçamento do ministério.

Esta semana, uma missão do Canadá inspeciona sete abatedouros de aves habilitados a exportar para aquele país, localizados no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink