Governo quer erradicar pobreza

Agronegócio

Governo quer erradicar pobreza

Promover assistência técnica aos agricultores familiares
Por:
1126 acessos
Programa Brasil Sem Miséria vai atender 306 mil pessoas no Rio Grande do Sul, das quais 106 mil nas áreas rurais

O programa Brasil Sem Miséria, do governo federal, inicia hoje com a meta de tirar 16,2 milhões de famílias da extrema pobreza no país, principalmente no campo. No Estado, 306 mil pessoas vão ser atendidas, das quais 106 mil na zona rural. A política, lançada oficialmente ao final da semana passada, consiste numa maior presença do Estado no interior do país, em que se destaca a promoção de assistência técnica aos agricultores familiares. A etapa regional do programa será oficialmente apresentada ainda neste mês pelo governo.

Hoje, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) publica, no Diário Oficial da União, edital de chamada pública para contratação de entidades que prestarão assistência técnica às famílias atendidas. Segundo o secretário de Agricultura Familiar do MDA, Laudemir Müller, o governo pretende contratar entidades em 60 dias, entre ONGs, Oscips e empresas. A meta é oferecer 11 técnicos para cada mil famílias. No meio rural, a ação vai focar a estruturação produtiva e o incremento da renda.

Seis mil famílias que vivem em situação de miséria nas regiões do Alto da Serra do Botucaraí, do Médio Alto Uruguai, além de índios, quilombolas e assentados serão os primeiros a participarem do programa Brasil Sem Miséria no RS. A escolha desse público partiu da lista de 135 mil famílias rurais gaúchas cadastradas no Bolsa-Família e considerou também o baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Segundo o secretário do Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, Ivar Pavan, em 2011 será possível atender esse público com a estrutura que o estado possui. Para 2012, a meta é ampliar o programa, contando com o recurso federal e convênios com prefeituras e cooperativas. Um dos desafios, conforme Pavan, será a mudança de atitude dos produtores. Atualmente, para receber o Bolsa-Família é preciso manter os filhos na escola. No novo programa, os participantes têm que produzir na terra.

Objetivos do programa no Brasil

Retirar 16,2 milhões de famílias da extrema pobreza (47% vivem na área rural);

Elevar para 255 mil o número de agricultores familiares atendidos pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA);

Constituir equipes de 11 técnicos para cada mil famílias;

Fomento de R$ 2,4 mil por família, durante dois anos, para produção e comercialização;

Distribuir sementes e insumos para 253 mil famílias;

Levar energia elétrica para 257 mil famílias;

Construir cisternas para 750 mil famílias;

Bolsa Verde: R$ 300 para a preservação ambiental.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink