Grandes incêndios atingem Mato Grosso e Tocantins
CI
Agronegócio

Grandes incêndios atingem Mato Grosso e Tocantins

Grande parte das queimadas são provocadas pelo uso do fogo para limpar áreas de pastagem
Por:

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) registra dois grandes incêndios florestais no país nesta quinta-feira (12), no norte de Mato Grosso e no Tocantins. Nesta quinta-feira, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registraram, em todo o país, cerca de 14 mil focos de queimadas.

No norte de Mato Grosso, o Ibama, a Defesa Civil, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e as forças estaduais tentam conter um incêndio de grandes proporções, que destruiu serrarias e pelo menos cem casas do município de Marcelândia. “Já conseguimos controlar o fogo na sede do município”, disse o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Luciano Evaristo.

No Tocantins, o fogo atinge parte do Parque Nacional do Araguaia, uma terra indígena e a Serra do Carmo, em Palmas. Bombeiros e aeronaves de Brasília devem chegar à região até amanhã (13) para ajudar no controle das queimadas. Um comitê com forças nacionais, estaduais e municipais também foi montado no estado para monitorar e combater o fogo.

Segundo Evaristo, grande parte das queimadas são provocadas pelo uso do fogo para limpar áreas de pastagem. Com a estiagem e os ventos, os agricultores perdem o controle do fogo, que chega a áreas florestais. “Além de todo esse esforço de combate, vamos multar aqueles que colocaram fogo em suas propriedades sem autorização das autoridades. Quem precisa queimar tem que procurar o órgão ambiental, que vai fazer vistorias e ver se a utilização de fogo é mesmo necessária”.

Por determinação do presidente do Ibama, Abelardo Bayma, todas as superintendências do órgão estão em estado de alerta para colaborar com as brigadas estaduais e municipais em caso de incêndios em áreas de floresta. Segundo Evaristo, o Ibama tem 1,7 mil brigadistas em todo o país.

De acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), do Inpe, a umidade relativa do ar continuará baixa em todo o Centro-Oeste, no Tocantins, no sul do Piauí, na parte sul da Região Norte, e no oeste da Bahia e de Minas Gerais.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink