Granizo: produtores de café de MG devem providenciar laudo técnico
CI
Agronegócio

Granizo: produtores de café de MG devem providenciar laudo técnico

Os produtores, cujas lavouras foram atingidas por chuvas de granizo, devem procurar os escritórios da Emater/MG
Por: -Janice

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais recomenda aos produtores de café, cujas lavouras foram atingidas por chuvas de granizo, que procurem os escritórios da Emater-MG para fazer um laudo técnico que comprove o sinistro. "Esse laudo é fundamental para qualquer negociação juntos aos agentes financeiros que concederam crédito para custeio das lavouras", explica o assessor de Café da Secretaria, Wilson Lasmar.

Dados preliminares da Emater-MG e das cooperativas indicam que as chuvas de granizo ocorridas em setembro atingiram cerca de 20 mil hectares das lavouras mineiras de café. Os maiores estragos foram no Sul de Minas, mas também houve ocorrências na Zona da Mata. "Num estado com um milhão de hectares de café, as perdas por causa do granizo não devem ter grande repercussão na safra total. O que preocupa é que os prejuízos foram muito concentrados em alguns municípios e houve produtores que tiveram 100% de perda", explica Lasmar.

O município de Campos Gerais foi um dos mais atingidos. Segundo Wilson Lasmar, dos 17 mil hectares plantados, 7 mil foram atingidos pelo granizo. "As perdas estimadas para o ano que vem chegam a 40% da safra municipal". Em Boa Esperança, 4 mil hectares de lavouras também foram atingidas pela chuva de granizo.

A recuperação dos cafezais atingidos pode levar até três anos. Algumas lavouras do Sul de Minas terão que ser recepadas (corte baixo da planta). Mas, no caso daquelas parcialmente atingidas, a recomendação aos produtores é procurar assistência técnica para orientação sobre a pulverização das plantas para evitar a incidência de doenças nos galhos danificados pelo granizo. "Os produtores também devem ficar atentos à desbrota, pois os pés atingidos tendem a apresentar uma brotação excessiva", explica Wilson Lasmar. Segundo ele, o trabalho de recuperação das lavouras deve ser muito bem planejado, pois o manejo vai aumentar os custos de produção. As informações são da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.