Agronegócio

Grãos e eucalipto invadem área de pastagem de Campo Grande (MS)

Redução de 26,7 mil hectares de área de pastagem desde 2010
Por: -Osvaldo Júnior
1612 acessos
A desvantagem econômica da criação de gado em relação a outras atividades tem mudado a paisagem rural de Campo Grande. Nas propriedades da Capital, houve redução de 26,7 mil hectares de área de pastagem desde 2010. No mesmo período, o espaço ocupado por outras culturas aumentou até 172%. De acordo com matéria publicada na edição deste domingo (22) no jornal Correio do Estado, a explicação está na diferença de rentabilidade: o retorno proporcionado pela produção agrícola chega a ser 300% maior que o da pecuária bovina.


De acordo com o Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga), desenvolvido pela Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e Associação dos Criadores de Soja (Aprosoja-MS), na safra de verão de 2009/10, a área de pastagem era de 598.050 em Campo Grande. Três anos depois, recuou para 571.350 – variação de -4,46% ou encolhimento de 26,7 mil hectares.


Essas terras foram ocupadas, sobretudo, por lavouras de soja e milho e pelo plantio de eucalipto. Tratam-se de produtos valorizados pela alta demanda global.
 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink