Grupo investirá R$ 10 milhões em abatedouro

Agronegócio

Grupo investirá R$ 10 milhões em abatedouro

A unidade avícola será construída no Sudoeste do Paraná
Por:
18 acessos

"Este abatedouro, em sua primeira etapa, vai se dedicar ao abate de galinhas matrizes (poedeiras), que atualmente são levadas para serem abatidas fora do Paraná, porque não temos um frigorífico especifico para isso. Assim, este investimento é de fundamental importância para o nosso Estado, principalmente do ponto de vista sanitário", ressaltou Pessuti.

Segundo ele, com o zoneamento da sanidade avícola que se discute no país, por causa da gripe aviária e outras doenças, os empresários paranaenses do setor são obrigados a levar esses animais para serem abatidos em outros estados, seguindo todo um protocolo de procedimento sanitário. "Acredito que, em breve, a Secretaria da Agricultura estará impedindo o trânsito dessas matrizes, justamente para proteger o plantel paranaense. Por isso, a iniciativa da Avícola Carminatti em construir um abatedouro de matrizes no Sudoeste terá toda atenção do Governo do Estado."

Segundo Carminatti, o abatedouro terá capacidade para abater 30 mil unidades/dia, destinada ao abastecimento dos mercados interno e externo e vai gerar 350 empregos diretos. "A carne dessas matrizes tem mercado certo na Europa, onde é usada em pratos prontos. O custa em média 35% a menos que a carne de frango", frisou.

O município conta atualmente com 140 granjas, mas deve dobrar este número com a construção do abatedouro. O empresário lembrou que o Paraná conta com um plantel de 8,8 milhões de galinhas poedeiras, que atualmente são levadas para serem abatidas em São Paulo e no Nordeste, onde por causa do preço mais acessível é bastante apreciada. O vice-governador Orlando Pessuti marcou uma reunião para o próximo dia 14, com representantes da Carminatti e de outros segmentos para viabilizar o investimento.

Os investimentos anunciados pela Unifrango de R$ 40 milhões para a construção de sua nova unidade industrial em Apucarana segue em ritmo acelerado. A expectativa é que no primeiro trimestre de 2008, o complexo esteja com a câmara de estocagem e o terminal de contêineres finalizados, viabilizando 200 postos de trabalho. Outros 1,8 mil postos de trabalho serão preenchidos com a conclusão das obras do frigorífico de aves, que será construído simultaneamente.

Com a antecipação do investimento, que conta com apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Apucarana, a empresa anunciou que vai começar este mês a cadastrar os produtores avícolas e proprietários rurais interessados em se tornar produtores integrados. A meta da empresa é abater 150 mil frangos/dia.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink